quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

De Rosa

*
De rosa
Mas sem muita prosa
O que seria de nossa força 
Se não fosse a força 
De uma hora silenciosa?
Em um momento
A proteção do preto
Em outra hora 
A suavidade do rosa
(Eneida Freire)
23/01/2015
*

Nenhum comentário: