segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Viver com Prazer

*
Eu não sei o que dizer
O que fazer
E custo a entender
Porque tem tanta gente
Sem o prazer de viver
Porque a vida não é só lazer
Há mesmo muito a se fazer
Mas quando se encara com prazer
Vale mesmo muito à pena viver
(Eneida Freire)
23/09/2013
*

domingo, 29 de setembro de 2013

A Gente se Esforça

*
A gente se esforça 
Para fazer tudo o que possa
Da melhor forma que possa
A gente se esforça
Senão a vida vira troça
Vira tudo uma brincadeira
E de qualquer maneira
Qualquer um debocha
Mas a gente se esforça!
(Eneida Freire)
22/09/2013
*

sábado, 28 de setembro de 2013

Que Beleza de Preguiça!

*
Que beleza de preguiça!
O que é isso?
Senão o indício
De que a mente
Cansaço sente
E parar 
É o que se cobiça
Para que se restabeleça
O bem estar
Que beleza de preguiça!
(Eneida Freire)
21/09/2013
*

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Sobre o Que Falar

*
Sobre o que falar
Se eu quero me calar
E assim me deixar
Até resolver
Até melhorar
Sobre o que falar
Se eu quero quieta ficar
Para tudo fazer
Sem em nada falhar
(Eneida Freire)
18/09/2013
*

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Fatigada

*
Cansada
Vontade de me deixar espalhada
Vontade de ficar parada
Fatigada
Com tanta coisa realizada
Que parece coisa abusada
Esgotada
Mas de tanta coisa feita e falada
Penso que a coisa será melhorada
(Eneida Freire)
17/09/2013
*

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Firme o Pensamento

*
Firme o pensamento
Amadureça o sentimento
Provoque em si o movimento
De espantar o tormento
De dar a si o alento
Através de cada momento
Com a firmeza do pensamento
(Eneida Freire)
16/09/2013
*

domingo, 22 de setembro de 2013

Vida Colorida

*
Para mim, a vida
Pode até ficar esquisita
Mas ela será
Sempre colorida
Mesmo que queira
Parecer-me aflita
Não adianta
A alegria suplanta!
15/09/2013
*

sábado, 21 de setembro de 2013

Eu Queria Escrever Um Texto

*
Eu queria 
Escrever um texto
Mas fiquei num sono
Que então foi pretexto
Para escrever esse texto
Eu queria 
Escrever um texto
Mas o contexto
Não me deu refresco
Eu queria
Escrever um texto
Em suave amostra
Como se faz um afresco
Seria boa aposta
Eu queria 
Escrever um texto
(Eneida Freire)
14/09/2013
*

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Tudo Deveria Começar...

*
Tudo deveria começar
Após o céu clarear
Após o sol se fazer brilhar
Após a energia da luz irradiar
Tudo deveria começar
Quando o dia chegar
Pra gente devidamente se preparar
E fazer também
A nossa luz alumiar
(Eneida Freire)
13/09/2013
*

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

As Coisas Persistem

*
As coisas persistem
Para que pudessem
Apreender cada item
Aprender com os que resistem
As coisas persistem
E bem a se calhar vem
Pois aprende-se com o que se tem
As coisas persistem
Para se ouvirem bem
Para que se resgatem
Todo o bem que se tem
As coisas persistem
Para que se paguem
Aqui e além
Cada vintém
(Eneida Freire)
12/09/2013
*

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Não Quero Nada

*
Não quero nada
Nada me apertando
Me amolando
Me irritando
Não quero nada
Nada me incomodando
Quero tudo solto
Frouxo
E instantâneo
(Eneida Freire)
11/09/2013
*

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Quando a Gente Não Para

*
Quando a gente não para
A vida nos para
Quando a gente não para
Até o coração dispara
E a gente não fica são
Costuma até
Dar problema de pressão!
Ah, isso não!
Quando a gente não para
Com uma parede esbarra
A vida trava
Como que entrava
Há que se cuidar do coração
Da emoção
Fazer meditação
Verificação
E então a constatação
De que a solução
Está na nossa mão
(Eneida Freire)
10/09/2013
*

domingo, 15 de setembro de 2013

Dia de Ficar Parada

*
Dia de ficar parada
Para ver se a vida fica enfeitada
Para ver se tudo dá uma virada
Depois da grande empreitada
Dia de ficar parada
Para fazer a vida engraçada
Para ver a obrigação divertida
Depois de investir na partida
(Eneida Freire)
08/09/2013
*

sábado, 14 de setembro de 2013

Só Depois, Me Reinventei

*
Constipei
Engripei
Por um fato 
Chato
Que de fato
Fui eu mesma 
Que criei
Me internei
Devaneei
E assim invernei
Fugi dos trópicos
Resfriei
E só depois que me cansei
Então me reinventei
(Eneida Freire)
07/09/2013
*

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Indescência

*
Parece não ter inteligência
Ou parece sem decência
Usar mal a inteligência
Pareceria displicência
Não fosse usar de negligência
Com tanta veemência
Parece até demência
Mesmo advinda de carência
Não se justificaria a imprudência
Isso é pura indescência
(Eneida Freire)
06/09/2013
*

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

O Indiferente é Deprimente

*
Tem coisa que realmente
Dá uma tristeza na gente
O que poderia ser evidente
Pior quando se sente
Que gente querida da gente
Posta-se indiferente
Chega a ser deprimente
O que acontece, fatalmente
E isso ocorre, infelizmente
(Eneida Freire)
05/09/2013
*

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

O Que Faz Mal

*
Sabe o que faz mal?
Gente grande ficar de mal
Uma bobagem descomunal
Parece criança
Que mal cresceu
Ou é aquele que cresceu mau
Parece menino que se perdeu
Sábio é aquele que sabe
Deixar de lado
O que faz estrago
(Eneida Freire)
04/09/2013)
*

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Algo Inusitado

*
Se está desanimado
Está errado
Veja só que engraçado
Quando tudo parecer estragado
Tudo visto como atrapalhado
Acontecerá algo inusitado
E tudo se tornará animado
(Eneida Freire)
03/09/2013
*

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Não Consigo Pensar

*
Não consigo pensar
A cabeça põe-se a pesar
Não consigo raciocinar
Como se algo estivesse a incomodar
Como que se sentisse um pesar
Não consigo pensar
Preciso descansar
A mente repousar
Preciso parar
Será que vai dar?
(Eneida Freire)
02/09/2013
*

domingo, 8 de setembro de 2013

Como Um Personagem

*
Sinto- me como um personagem
Com personalidade
Dramático
Enfático
Sinto-me como um personagem
Que parece sofrer
Expressar-se até quase morrer
Sinto-me como um personagem
Que canta
Encanta
E se faz reviver
(Eneida Freire)
01/09/2013
*

sábado, 7 de setembro de 2013

Horizonte

*
O horizonte tem fisiologia
Tem fisionomia
E até filosofia
Feliz daquele
Que compreende
Que se entende
Com essa historiografia
E comunga dessa harmonia
(Eneida Freire)
31/08/2013
*

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

O Tempo Muda?

*
Dia sem festa
Dia de frio
Dia de gripe
Isso presta?
Ou se despreza
O ocorrido
E supera
O desafio?
Hoje é sexta
Dia de destreza
Dia de presteza
Como se faz isso?
Será que esquenta
Ou fará frio?
A gente aguenta
Ou apenas lamenta?
A gente dorme
Ou fica alerta?
Tenta ficar esperta 
Pra ver se acorda
E não se assusta
E o tempo muda?
(Eneida Freire)
30/08/2013
*

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Em Dia Nublado

*
Em dia nublado 
Fica-se amuado
Não fosse o bom trato
Ficaria mal humorado
Qual seria o estado
Que deixaria 
O ser enredado
Em dia nublado
Sente-se sufocado
Até mesmo 
Embasbacado
Fica tudo travado
Em dia nublado
Tudo parece
Arrevesado
Até o ar respirado
Parece dificultado
Melhor alterar o pensamento
Para conquistar 
Um melhor resultado
(Eneida Freire)
29/08/2013
*

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Simplicidade e Praticidade

*
Em meio à simplicidade
Nota-se a tonicidade
A fortaleza
A beleza da vida
Em meio à praticidade 
Fala mais alto
O senso da realidade
Ladeando a naturalidade
Percebe-se bem o tono
A toada a vida
Em tranquilidade
(Eneida Freire)
28/08/2013 
*

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Vida Embaralhada

*
Vida embaralhada
Fotos embaçadas
Ainda bem
Que ainda tenho um bem
Uma mente equilibrada!
(Eneida Freire)
27/08/2013
*

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Cada Vez, Melhor Ainda!

*
Fico pensando
Escrevendo
Matutando
E assim vou me expressando...
Que foi que da vida eu fiz
Se da vida fiquei levando
Se da vida eu quero bis
Sei que de todos os perfis
Das cinzas eu me refiz
Mas não sei se quero bis
E assim fico me sentindo
Cada vez 
Melhor ainda...
(Eneida Freire)
26/08/2013
*

domingo, 1 de setembro de 2013

Enlevo Diante do Relevo

*
Diante da natureza
Que beleza!
Pensamento em destreza
Sentimento em enlevo
Apreciando o relevo
Aproveito o ensejo
Para expressar o desejo
De que o que vejo
Não seja um lampejo
Mas o relevo
O contorno
O conforto
E não o confronto
Mas o manejo
Da alma em enlevo
Que se eleva
E assim se expressa
(Eneida Freire)
24/08/2013
*