quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Amores Contraditórios


*
Gosto muito do trabalho
Mas tem hora que dá muito trabalho
Gosto muito da liberdade
Mas tem hora que quero a realidade
Gosto muito de conforto
Mas tem hora que quero esforço
Gosto muito de colorido
Mas tem hora que o colorido é sofrido
Gosto muito do sofisticado
Mas tem hora que quero o básico
Gosto muito de tudo certo
Mas tem hora que quero o errado
Gosto muito do abstrato
Mas tem hora que quero o concreto
Gosto muito do diferente
Mas tem hora que a gente nem sente
Gosto muito de me identificar
Mas tem hora que quero negar
Gosto muito de definir tudo com clareza
Mas tem hora que não tenho essa destreza
Gosto muito da rotina
Mas tem hora que ela não me fascina
Gosto muito de ter um mestre
Mas tem hora que não quero que me conteste
Gosto muito de viver intensamente
Mas tem hora que tudo é um teste
Gosto muito das coisas como estão
Mas tem hora que quero mudar tudo então
Gosto muito de tudo no lugar
Mas tem hora que quero tudo revirar
Gosto muito de arrumar
Mas tem hora que quero bagunçar
Gosto muito de coisa trabalhada
Mas tem hora que quero coisa ganhada
Gosto muito do trabalhado
Mas tem hora que quero inventado
Amores contraditórios
Ora concretos
Ora ilusórios
(Eneida Freire)
(18/05/2010)
*