terça-feira, 29 de maio de 2012

Acordei Nervosa


*
Acordei nervosa
Dormi pouco
Dormi mal
Nervos normalmente não irritáveis
Tornaram-se irritados
Normalmente sou paciente
Mas quando irritada
Torno-me sarcástica
Revisto-me de ironia mordaz
Quando fico nervosa
Não sou nada piedosa
Mas também não sou ruidosa
Fico na minha
Mas não provoque
Tenho algo cravado
No centro da espinha
E não se trata
De distúrbio hormonal
Trata-se de ser racional
Não gosto de falta de respeito
Esse é meu preceito
E para melhorar
Fico a pensar
Como é amar?
Como é que nasce
A arte do prazer?
Sentir prazer
Arte a se desenvolver
Cura-se nervosismo com prazer
Como assim? Podem dizer
E que mal há nisso?
Melhorar é que é compromisso
Entrar em contato com sentimentos
Ter bons momentos
Vai dizer que não melhora?
Melhora sim
Retempera
Fortifica
Revigora
Encontrando a linguagem certa
Encontrando quem sente
Junto com a gente
A gente melhora
Dar vazão ao nervosismo é a morte
Cessação definitiva de vida
Não há que se dar vazão ao nervosismo
Entregar-se ao pessimismo
Nada merece tanto
Nada merece o espanto
E quero a vida
Escolho a vida
Eu quero é encanto
(Eneida Freire)
06/07/2010
*

sábado, 26 de maio de 2012

Afeição Recíproca


*
Amigo
Onde se tem abrigo
Afeição recíproca
Verdadeira troca
Amigo é companheiro
Aquele que acompanha
Que se gosta de verdade
Amigo é um artista
Até na insanidade
No ofício da afeição
Com gosto
Em explosão
Que refina sua arte
Arte de afeto
Amigo
É o que está com a gente
Quando se precisa
Efetivamente
E quando não
Apenas por afeição
Não nos larga de mão
Por motivo fútil
Ou quando há requinte
Amigo é ouvinte
E contribuinte
Convívio
Satisfação íntima
Um contato
Um convívio
Um olhar
E se entende
A mão se estende
E interage
Sentimento mágico
Inexplicável
(Eneida Freire)
20/07/2010
*