segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Abre Teus Braços


*
Abre teus abraços
Doe abraços
Renda-se aos amassos
Aos contatos
Aos espaços
De felicidade
Abre teus braços
Teu coração
De antemão
Sem senão
Abre teus braços
Em gratidão
(Eneida Freire)
26/09/2011
*

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Apreço Pela Arte


*
Apreço pela arte
É não deixar nada à parte
É revisar cada detalhe
É juntar tudo que se espalhe
Apreço pela arte
É usar a inteligência
É não se deixar em descrença
Não ver a vida sob indiferença
Apreço pela arte é pedir licença
Para fazer sua parte
Antes que seja tarde
É exercer sua crença
Naquilo que te pertença
É manter
A todo custo
A própria querença
(Eneida Freire)
21/05/2011
*

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Alternâncias


*
Alternâncias
Entre o bem e o mal
O temporal e o atemporal
Entre o noturno e o matinal
Alternâncias
Entre a bondade e a saudade
Entre o dormir e o acordar
Para com a realidade lidar
Alternâncias
Entre a música e a não-música
Entre a lógica e a discórdia
Fazendo a vida compassar
Alternâncias
Entre dissonâncias
Bonanças
Alianças
Mudanças
Lembranças
E por aí vai...
(Eneida Freire)
18/07/2011
*

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Águas Cristalinas


*
Água cristalina
Coisa linda
É como flutuar
Deixar o barco levar
Poder ver os peixes
Os transparentes
Os multicolores
Mergulhar os pés
E pelas águas
Vê-los através
Pensar em inteirar
Em se aventurar
Ou nem tentar
Só descansar
Nessas águas cristalinas
Turistas
São visitas
Passeio procurado
Até invejado
Nada incomoda
Tudo se acomoda
Naturalmente
Displicentemente
Águas cristalinas
Em mar
Verdadeiro recanto ecológico
Verdadeiro despropósito
De tão lindo
E vamos indo
Saudosos
Em pensamento
O problema é acordar
A qualquer momento
(Eneida Freire)
06/07/2012
*

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Bom Mesmo


*
Bom mesmo
É o que não se faz a esmo
É o que é calculado
Ao menos
Por um valor estimado
Não precisa ser marcado
Ou completamente regrado
Bom mesmo
É não deixar tudo ao acaso
Direcionando um mínimo
O seu destino
Bom mesmo
É tomar as rédeas da situação
É ter determinação
É lutar pela vida
Não se dar por vencida
Bom mesmo
É ir à luta
Mesmo não agradando
A desregrada disputa
Bom mesmo
É fazer pontaria
E seguir em calmaria
Bom mesmo
É encarar a vida com paixão
Vislumbrando
Mesmo que ao longe
Um clarão
Bom mesmo
É usar o que gosta
Fazendo sua aposta
Bom mesmo
É vestir-se com classe
Sem disfarce
Para vencer
Em meio ao prazer
Fazendo da vida um lazer
Bom mesmo
É ter ousadia
Não deixar o triunfo
Ser uma obra tardia
Bom mesmo
É ser você mesmo
Que se atreve
Pois a vida é breve
Aproveite o instante
Pois a vida
Não pode ser insignificante
(Eneida Freire)
31/03/2011
*

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Arte de Viver e Dançar


*
Viver
Dançar
Arte de viver
Em bem estar
Deixa estar
Ponha-se a dançar
Pois viver
É mesmo uma arte
E lutar faz parte
(Eneida Freire)
23/05/2011
*

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Arte e Vida


*
Fiz um plano de vida
E a vida
Em sua arte
Fez sua parte
Alterou meu plano
E não vejo isso
Como um desengano
É só mais uma mudança
No quotidiano
Às vezes escapamos
E vivemos na fantasia
De lado a responsabilidade
Ansiedade em demasia
Mas a vida nos chama
E a arte apenas
Sentidamente exclama
Por ser deixada de lado
Melhor fazer um agrado
Isso sim é vida
Isso sim é uma arte
Não se deixe em combate
(Eneida Freire)
29/12/2010
*

terça-feira, 29 de maio de 2012

Acordei Nervosa


*
Acordei nervosa
Dormi pouco
Dormi mal
Nervos normalmente não irritáveis
Tornaram-se irritados
Normalmente sou paciente
Mas quando irritada
Torno-me sarcástica
Revisto-me de ironia mordaz
Quando fico nervosa
Não sou nada piedosa
Mas também não sou ruidosa
Fico na minha
Mas não provoque
Tenho algo cravado
No centro da espinha
E não se trata
De distúrbio hormonal
Trata-se de ser racional
Não gosto de falta de respeito
Esse é meu preceito
E para melhorar
Fico a pensar
Como é amar?
Como é que nasce
A arte do prazer?
Sentir prazer
Arte a se desenvolver
Cura-se nervosismo com prazer
Como assim? Podem dizer
E que mal há nisso?
Melhorar é que é compromisso
Entrar em contato com sentimentos
Ter bons momentos
Vai dizer que não melhora?
Melhora sim
Retempera
Fortifica
Revigora
Encontrando a linguagem certa
Encontrando quem sente
Junto com a gente
A gente melhora
Dar vazão ao nervosismo é a morte
Cessação definitiva de vida
Não há que se dar vazão ao nervosismo
Entregar-se ao pessimismo
Nada merece tanto
Nada merece o espanto
E quero a vida
Escolho a vida
Eu quero é encanto
(Eneida Freire)
06/07/2010
*

sábado, 26 de maio de 2012

Afeição Recíproca


*
Amigo
Onde se tem abrigo
Afeição recíproca
Verdadeira troca
Amigo é companheiro
Aquele que acompanha
Que se gosta de verdade
Amigo é um artista
Até na insanidade
No ofício da afeição
Com gosto
Em explosão
Que refina sua arte
Arte de afeto
Amigo
É o que está com a gente
Quando se precisa
Efetivamente
E quando não
Apenas por afeição
Não nos larga de mão
Por motivo fútil
Ou quando há requinte
Amigo é ouvinte
E contribuinte
Convívio
Satisfação íntima
Um contato
Um convívio
Um olhar
E se entende
A mão se estende
E interage
Sentimento mágico
Inexplicável
(Eneida Freire)
20/07/2010
*

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Absolutório


*
Absolutório
Adjetivo que encanta
Que liberta
Que absolve
Que se dispõe em soltura
Absolutório
Saudável
Quando absolvemos os outros
Quando absolvemos a nós mesmos
De amarras
A que nos propomos
O absolutório
Não é obrigatório
Até que se descubra
Que se pode soltar
Muitas vezes
Nós mesmos nos prendemos
Ao que não gostamos
Por comodismo
Mas não me acomodo
E me absolvo
E me livro
Do que não me faz bem
Do que não mais me seja útil
Exercito o desapego
Faço a energia fluir
Há que se redimir
Absolvemos
Soltamos
O que não usamos
Outras propostas buscamos
Energia estagnada
É água parada
Sempre negativo
Isso é um perigo
Criatório de coisa ruim
Não é bom pra você
Não é bom pra mim
Permitir-se o absolutório
É algo obrigatório
É eximir-se de uma culpa
Que não se tem
(Eneida Freire)
02/08/2010
*

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Agitada


*
Agitada
Não consigo escrever nada
Fico parada
A inspiração não vem
As palavras da mente saem
Vão pra cabeça de quem?
Ficaram perdidas no tempo
Foram-se
Nem sei em qual momento
Estou agitada
Com essa vida movimentada
Tem hora até
Que fico atrapalhada
Tem hora
Como agora
Faço as coisas à minha moda
Mas não dá tempo
E só nesse momento
Parou o tormento
E escrever já ajudou
Já socorreu
Já valeu
E que venha criticar
Apenas quem for ajudar
(Eneida Freire)
17/08/2010
*

quarta-feira, 14 de março de 2012

Vínculos Emocionais


*
Vínculos
Laços que criamos
Liames
Formas a que nos apegamos
Coisas com que nos afinizamos
Vínculos emocionais
E às vezes pensamos
Nenhuma razão
Para nos apoiarmos
Às idéias
A que nos vinculamos
Sempre temos
Uma dose de esperança
Vinculamo-nos
Às emoções
Entendemos lealdade
Fidelidade
Criamos hábitos
Vínculos emocionais
Quando nos envolvemos
Melhor
Quando não distorcemos
A razão fica encobertada
De reflexão repleta
Intuição
E porque não
Vínculos emocionais
Afinidades
Que descobrimos
E produzimos
Revelam os laços
Que vamos construindo
Pelos caminhos
(Eneida Freire)
06/04/2010
*

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

A Grande Arte


*
A grande arte
Reflete
A grande batalha
Diária
E a grande batalha
É dura
É árdua
E a gente
Fica descrente
Insegura
Mesmo diante
Da proposição mais pura
(Eneida Freire)
28/06/2011
*

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Dia Especial

*
Um dia especial
Não necessita memorial
Sem configuração extraordinária
Segue-se missionária
Tome uma atitude
Exerça sua virtude
Cada dia
Força liberada
Perceba a caminhada
Será adequada
Redesenhe a vida
Surrealista
Espontânea
Inusitada
(Eneida Freire)
11/11/11
*

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Bom Pra Mim


*
Bom pra mim
É concatenar trabalho
Com criatividade
Restar sempre
Em atividade
Pra vida ficar mais leve
E a tormenta ser breve
Bom pra mim
É encontrar em cada dia
Um jeito novo e melhor
Sem ironia
Bom pra mim
É encontrar a cor preferida do dia
E vestir-me
Conforme demanda minha energia
Bom pra mim
É sentir o clima ideal
Harmonia total
Céu azul
Brisa suave
Sem entrave
Bom pra mim
É tomar um café da manhã
Com capuccino e croissant
Bom pra mim
É a sofisticação da vida em festa
Como numa seresta
Bom pra mim
É a nobreza da cordialidade
Espírito em jovialidade
Bom pra mim
É a casualidade
A simplicidade
Bom pra mim
É a irreverência da autenticidade
(Eneida Freire)
05/08/2010
*

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Fácil Resolver


*
Fácil resolver
Melhor descrever
Melhor que se conter
Pois belo é o ser
Individualmente
Fisicamente
De corpo inteiro
Assumidamente
Crente de si
Que se tem valor
Como pessoa real
Com representação social
Independente
Do padrão estético
Pois o mundo é eclético
A mente é que alcança
O próprio descrédito
E não se encoraja
Não se encara
De corpo inteiro
Com esmero
Há de haver força
Para conquistar
A imagem
Que se quer passar
O corpo e a mente
Juntamente
Assumidamente
Posto que o corpo
Sem a mente
É inerte
Apagado
Insosso
Até insolente
Para encontrar o caminho
De se encarar
Frente a frente
De corpo inteiro
Haverá de buscar
O seu ideal
Individual
A sua forma
De ser feliz
Aquela que
Com seu contexto condiz
Pior que não ter ideal
É não encontrar o caminho
Viver em desalinho
Aquele que se definiu sem ideal
Já encontrou um caminho
O da descrença
Mereça
Pois aquele
Que não encontra caminho
Esse anda sozinho
Sozinho de si mesmo
A si mesmo dispensa
E não se define
E dificilmente se vê
Com prazer
E de corpo inteiro
(Eneida Freire)
12/11/2010
*