quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Amor-Próprio


*
Amor-próprio
É cuidar do corpo
E também da mente
Os dois juntos
Em conjunto
Fazem a alma transcendente
Se cuidar apenas do corpo
Suas roupas
Seus contornos
Desdenhando a mente
Tornar-se-á um descrente
O amor-próprio faltará
Inimigo de si mesmo se tornará
Ter amor-próprio é cuidar-se no todo
É usar bela roupa
Adornar belo corpo
Reflexo de bela mente
Um presente
Cuidar da postura
Postura da alma
Postura do corpo
Quando a mente se curva
O corpo acompanha
Atente-se
Dica boa
Postura física ruim
Aprume-se
Amor-próprio fraquejado
Desacreditado
Não se deixe de lado
Lute por si mesmo
Ame-se demasiado
Faça as pazes consigo mesmo
Não se deixe a esmo
Faça-se feliz
Vista bela roupa
Pense coisa boa
Adorne o corpo
Enfeite a alma
(Eneida Freire)
13/08/2010
*

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Arrastão


*
A vida
Em arrastão
Leva tudo
Que vê pela frente
Sem querer saber
O que a gente sente
Sem se importar
Se dá conta
Ou se é dissidente
Dessa coisa louca
Incoerente
Que de forma insistente
Faz-nos seguir em frente
Em arrastão
O corpo se arrasta
A gente se esforça
A mente se arrasta
Problema se instala
Em arrastão
Esforço violento
Vira um tormento
Faz mal o arrastão
Se torna lamentação
Nesse turbilhão
Em arrastão
Não se vê razão
Para redenção
Arrastão
É motivo de reflexão
Embora nos deixe em lentidão
Para desvendar o arrastão
Resume a intenção
O mistério desse arrastão
Nessa vastidão
Que envolve a multidão
Como religião
Arrastão
E seus enigmas
Terá sua razão
Esse turbilhão
Em arrastão
Haverá explicação
(Eneida Freire)
23/07/2010
*

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Brisa ou Programação


*
Do que precisamos
Brisa ou programação
O que queremos
Pensamos
A brisa vai nos levar
Deixamos
Ou buscamos
Intensa programação
Em propagação
Deixar a brisa nos levar
Um feito
Eleito
Uma entrega
Uma trégua
Um descanso
Aproveitar o balanço
Aproveitar o lazer
O que dá prazer
Repouso corporal
Repouso mental
Aproveitamos
O lazer é fundamental
Para o descanso mental
Mentes cansadas
Trabalhos intelectuais
Nossos ideais
Programação em brisa
O que se visa
Evoluir
E encontrar a paz
Na brisa ou na programação
Importante a meditação
Com consciência
Em transparência
Na brisa ou na programação
Suaves como uma brisa
Fortes como uma ventania
Depende de quando se vê
Depende de como se vê
Na brisa ou na programação
(Eneida Freire)
16/05/2010
*

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

A Carne é Fraca


*
A carne é fraca
Muito fraca
Que coisa chata
Parece sem consistência
Uma indecência
Uma doença
A carne é fraca
Sem força
Por mais esforço
Que se faça
Preferível a couraça
Quando a carne é fraca
Preferível até a mordaça
Senão se vai à caça
A carne é fraca
E vira uma contenda
Quanto ao que se deve
E o que se consegue
O que fazer
O prazer  
Torna-se um desprazer
Qualquer ato
Uma ameaça
A carne é fraca
E não nos sustenta
Por mais que se inventa
Vira uma tormenta
Querer caminhar
Ou até voar
E a carne não deixar
Pois a carne é fraca
Nem adianta tentar
O negócio é esperar
A alma quer vaguear
O corpo quer descansar.
A carne é fraca
E nada pode ser feito
A não ser esperar
Para melhorar
(Eneida Freire)
09/05/2011
*

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Avisos


*
Aviso que estou cansada
Cansada até de falar nisso
Aviso que estou sobrecarregada
Aviso que estou cuidando disso
Aviso que tenho compromisso
Aviso que tudo o que chega em desaviso
Torna tudo um improviso
Um aviso para mim mesma
Um aviso salutar
Uma força para lutar
Pois ficar de sobreaviso
É uma forma de se cansar
E quero tudo solucionar
Costumo a tudo abraçar
Isso não faz o tempo sobrar
Para a mim mesma visualizar
Sem tempo para me cuidar
Para me dedicar
Ao que gosto de lidar
À minha moda devotar
Mas aviso
Que tudo que chega quieto, no escuro
Deixa-me em dificuldade, em apuro
Coisa difícil de lidar
Mas busco o conforto de pensar
Que devo disso usar
Para meu ser aprimorar
Saber improvisar
A tudo cercar
A tudo remediar
Preciso a mim mesma avisar
Para não viver de sonhar
E o meu caminho galgar
Para a tormenta se findar
(Eneida Freire)
03/08/2010
*