quarta-feira, 30 de março de 2011

Deixar o Barco Correr

*
Há momentos
Em que é melhor
Deixar o barco correr
E o seu fluxo
Nem tentar interromper
Deixá-lo se mover
Conforme seu prazer
Deslocar-se
Mesmo que a correr
Quando em sábado
E a gente inventa um babado
E outro
E deixa o barco correr...
(Eneida Freire)
*
04/12/2010
*

terça-feira, 29 de março de 2011

Adornar-se

*
Adornar-se
Enfeitar-se
Quem não gosta?
Quem não sente
Que a vida presente
Torna-se insistente
Em se decorar?
Principalmente
Com chuvinha fina
Entrando no clima
Fazendo nossa rima
Quem da vida não se lastima
O mundo se anima
Adornar-se
Coisa boa de se fazer
É acordar-se
Para a vida aprontar-se
Escolher uma roupa
É retratar sentimento
Ou escolher o sentimento
Que te vestirá no dia
Sim, podemos errar o caminho
Mas podemos também
Escolher a paisagem
A mensagem
Que queremos passar
E que queremos adquirir
E podemos decidir
Se vamos do mundo reclamar
Ou se vamos a vida aclamar
Adornar-se
Ou negar-se
Questão de escolha
Perder-se os encantos
Tecer a tristeza
Ou usar de energia
E adornar-se com alegria
(Eneida Freire)
*
02/11/2010

segunda-feira, 28 de março de 2011

Almas e Costumes

*
Cada qual
Com seus princípios espirituais
Cada qual
Com suas qualidades morais
Cada qual
Refletindo sua grandeza de alma
Da forma como entende seu caráter
Como expressa sua consciência
Conforme sua preferência
Cada qual
Com sua forma de expressão
Mais do que se vestir
Mais do que o corpo cobrir
Ou sua mente ocupar
É o reflexo da alma
Através dos costumes
Muitos rompem barreiras
Outros limitam os gêneros
Moda
Incursão aos armários
Costume de se vestir
Alma vivente
Em exploração
Abre janelas
Possibilidades
Desperta vontades
E também valores
E essa incursão
Fornece-nos avaliação
De cores
Modelos
Estampas
Tecidos
São muitas as variantes
E as variáveis
Muitas as possibilidades
O vestir
Ou o refletir
Causa problemas de convívio
Coisa incrível
Almas
Expressam seus costumes
Exercem sua cidadania
Motivo de uma hostilidade
Pessoas infelizes consigo mesmas
O vestir
E o expressar
O modo da alma caminhar
Não apenas o ato de reproduzir costumes
Mas a produção
A criação de costumes próprios
Arte é criar
Almas e costumes
(Eneida Freire)
*
11/10/2010

domingo, 27 de março de 2011

Barulho

*
Vestir-se
De forma extravagante
É fazer barulho
Vestir-se
Com cores fortes
É fazer barulho
Tem gente
Que comemora
Em altos brados
Tem gente
Que gosta de sofrer
Em voz alta
Tem gente
Que tem horror ao barulho
Tem gente assim
Que acha ruim
O barulho constante
Intermitente
Gostar de barulho
Pode não ser à toa
Tem gente que gosta
De uma farra boa
De marcar presença
Tem gente intensa
Mas barulhos intermitentes
Insistentes
Não oferecem intervalos à mente
Mesmo coisa boa
Pode cansar a pessoa
Que precisa de intervalo
Para outro embalo
Para que haja vontade
De que haja mais
Mais tarde
Seja festa
Ou seja viagem
Como as estações
Com suas rotações
As quentes e as frias
E por aí vai
Há quem goste dos barulhos
Que irritam os outros
Todo barulho que é forte
Nos torna alertas
Cores
Produções
Formas de expressões
Um tom de voz
Um barulho
Dá brilho extra a tudo
E só ousando
Fazendo o nosso barulho
Descobrimos
Nossos talentos
Nosso potencial criativo
Pois nos permitimos
Em novas descobertas
Nos abrimos
Para novas idéias
Mas o limite
É não poluir
Pois muitas idéias só servem
Para brincarmos com elas
É saber
Através da linha tênue
Entre o agradável e o impositivo
O que incomoda
E o que faz bem
Porque não é só o que nos incomoda que faz barulho
Nem mesmo só o que faz barulho que nos incomoda
Podemos estar tão acomodados ao barulho do que é ruim
Que quando uma oportunidade nos bate à porta
O barulho desse bater nos incomoda
E vemos essa oportunidade com pessimismo
Como um barulho ensurdecedor
E reclamamos do barulho
Sem pensar se esse barulho seria uma oportunidade
Atenção
Isso é uma verdade
*
17/06/2010

Bem Resolvida

*
Resolver
Buscar elementos
Constituintes de algo
Tomar uma decisão
Quanto a essa coisa
Resolver-se
É conseguir definir-se
É conhecer-se
É fazer a decomposição
Dos próprios detalhes
E, após conhecer-se
Resolver-se
Pois resolver-se
É não ter problema consigo mesma
Ou, vendo problema
Processar a informação negativa
E então
Tornar-se bem resolvida
Porque bem resolvida segue-se em frente
Com menos barreiras
Sem fronteiras
Por acreditar-se
Capaz de mais
Resolver-se
É ter liberdade
De ser você mesma
É aceitar-se
E quando assim
Ser capaz de ousar
E não pensar
Que a todo o tempo
Necessita mostrar-se
E o corpo marcar
E então conseguir ousar
Para o próprio deleite
Para o próprio conforto
Ousar
É se acreditar
Experimentar
Se aperfeiçoar
E só se consegue
Essa liberdade
Se bem resolvida
Liberdade
Palavra que se sonha
Que se alimenta
Que não se explica
Que todos almejam
Que todos entendem
Liberdade
Palavra que só se vive
Se bem resolvida
(Eneida Freire)
*
27/10/2010

quarta-feira, 9 de março de 2011

Caixa de Aleatórios

*
Uma caixa
Comentários
Aleatórios
Assuntos diversos
Que fogem do assunto
Caixa de idéias
Sejam velhas
Ou estréias
Em sugestões
Inspirações
Divagações
Ou divulgações
Caixa de aleatórios
Em troca e interação
Recurso em participação
Que se expresse
Em interesse
Em comunicação
Montada em sugestão
Aguarda-se participação
Faz-se interação
Em cada estilo
Cada suspiro
Cada forma de pensar
De ver o mundo
E se expressar
Sem definir radicalmente
Sem nem mesmo rotular
Pra sugerir
Para criar
Mental e efetivamente
E na caixa colocar
Aleatoriamente
*
18/09/2010

segunda-feira, 7 de março de 2011

Evento

*
Um evento
Um advento
Um momento
Espera-se um acontecimento
Posto que seja um invento
Um convite
Um evento
Há que se programar
Há que se organizar
Há que se honrar
Ter boas idéias
De nada irá adiantar
Se não souber executar
E então muitos
Moribundos
Perdem-se em projetos
Fogem de seus objetos
Suas idealizações
Por muitos senões
Em qualquer evento
Em todo seguimento
Há que se focar
Para o êxito alcançar
Atenção ao objeto
Para alcançar o concreto
Não demonstrar fraqueza
Em incerteza
Um evento
Mostra a condição
Em que se encontra a visão
Que se tem de futuro
Que não pode ser um embrulho
Pois a cada dia construímos
Com nossas decisões diárias
Em idéias refratárias
Que tem que ser elaboradas
Em função do que queremos conquistar
Objetivos
Atenção aos mínimos
Em meio às inconstâncias
Às mutabilidades normais
Diante de temas pontuais
Para ao intento chegar
Ao que almejamos alcançar
Devemos, pois, de cada evento
Minuciosamente cuidar
*
19/08/2010

Explorar Paris

*
Por Paris andar
Explorar
Aproveitar
Explorar a cidade a pé
Visitar Igrejas
Exercer a fé
Passear pelos jardins
E lugares afins
Passear por Paris de dia
Entrar em uma cafeteria
Passear por Paris à noite
A divina côrte
Explorar
Embarcar
Cruzeiro pelo Rio Sena
Diante de tanta grandeza
Sentir-se pequena
Nas charmosas embarcações
Os “bateaux-parisiens”
Explorar
Contemplar os monumentos iluminados
Ornados
Junto às pontes do Sena
Belíssima cena
Descobrir a Cidade Luz
Que reluz
E seus poemas
Com suas obras iluminadas
Ilustradas
Tudo de maneira espetacular
Cultura secular
Paris, vale explorar!
*
13/10/2010

Festejos e Desejos

*
Época de festejos
Época de desejos
Época de lampejos
De ternura
De ventura
De comemorações e mesuras
E quem muito festeja
Algo deseja
Nem que seja
Estar junto
Pra trocar assunto
Pra fazer conjunto
Só pra estar junto
Festejar a vida em conjunto
Em harmonia
Pra festejar a vida
Tornar perfeito o dia
(Eneida Freire)
*
19/12/2010

Foco

*
Definir o foco
Medir as coisas
Para caberem no contexto
Não analisar a vida em bloco
O que houver de se fazer
Que não seja do desânimo um pretexto
Que seja um prazer
Sim, difícil focalizar
Se concentrar
Realizar
E ainda gostar
De muita coisa
Perdendo o foco
Fica-se disperso
Parece tudo controverso
Não se sabe o que vestir
Pra onde ir
Ficamos em dispersão
E dizem
Essa desatenção
É advinda da comum multi-tarefação
É preciso concentração
*
09/11/2010