segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Desejo


*
Desejo
Importante ou útil
Algumas vezes
Mais importante que útil
Outras vezes
Mais útil que importante
Na visão pessoal
Movimento pessoal
Diferente
De movimento social
Desejo
Mobiliza a sociedade
Em praticidade
Em seu íntimo
Mesmo que ínfimo
Energia coletiva
Sugestiva
O desejo impulsiona
Mas também condiciona
A experiência
É conseqüência
E há de ser boa
Faça a escolha
Êxito na conquista
Invista
Alcance o que se deseja
Seja feliz na conquista
Deseje
O que se tem em vista
Mesmo após a conquista
(Eneida Freire)
29/10/2010
*

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Acordei

*
Acordei
Num ânimo
Me levantei
Pra fazer a vida render
Pra fazer valer
Acordei
Me esforcei
As circunstâncias ajudaram
As coisas não se complicaram
Acordei
Favorecida
Beneficiada
Por estar acordada
Pela ordem natural das coisas
Que ajudaram nas escolhas
Num ímpeto de reagir
Acordei
Consegui sentir
A própria vida
Iniciativa criativa
Acordar
Para a vida abordar
Para fazer valer os atos
E organizar os fatos
Acordei
Experimentei
Disposta a refinar a arte
De viver
Alterar a força dos ventos
Espantar os tormentos
Acordei
Acordar é uma arte
Que da vida faz parte
Arte de se despertar
De bem se alimentar
Acordar
O ânimo buscar
Caminhos fortuitos percorremos
Nos desvirtuamos
Nos distraímos
E assim vamos
De lado nos deixamos
Nos envolvemos
Nos perdemos
Mas depois acordamos
Eu acordei
(Eneida Freire)
21/07/2010
*
Homenagem na confrariadasoninha
Obrigadíssima pelo carinho, amiga Sônia Silvino!!!
*

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Volátil


*
Formas de ver
Formas de viver
Inúmeras
Diversas
Inconstantes
Um dia atual
Outro dia tradicional
Cada qual
Com sua capacidade sem igual
Volatilidade
Um dom
Para cada qual
Haverá de ser bom
Volatilidade
Uma capacidade
Para alguns
Dom natural
Bem descomunal
Poucos se permitem
Outros até se agridem
Poucos gostam de voar
Outros não ousam tentar
Mas há horizontes
Distantes
Só vistos através de um vôo
O céu é o mesmo para todos
Mas nem todos têm a mesma visão
Porque então
Seguir o mesmo?!
Ser volúvel é ser inconstante
Mas quem suporta a constância da mesmice a todo instante?
Gosto do volátil
Do que voa
Dos volantes
Dos babados esvoaçantes
Que se movem facilmente
Incansavelmente
Versáteis
Voláteis
Buscando novos horizontes
(Eneida Freire)
26/07/2010
*

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Amor-Próprio


*
Amor-próprio
É cuidar do corpo
E também da mente
Os dois juntos
Em conjunto
Fazem a alma transcendente
Se cuidar apenas do corpo
Suas roupas
Seus contornos
Desdenhando a mente
Tornar-se-á um descrente
O amor-próprio faltará
Inimigo de si mesmo se tornará
Ter amor-próprio é cuidar-se no todo
É usar bela roupa
Adornar belo corpo
Reflexo de bela mente
Um presente
Cuidar da postura
Postura da alma
Postura do corpo
Quando a mente se curva
O corpo acompanha
Atente-se
Dica boa
Postura física ruim
Aprume-se
Amor-próprio fraquejado
Desacreditado
Não se deixe de lado
Lute por si mesmo
Ame-se demasiado
Faça as pazes consigo mesmo
Não se deixe a esmo
Faça-se feliz
Vista bela roupa
Pense coisa boa
Adorne o corpo
Enfeite a alma
(Eneida Freire)
13/08/2010
*

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Arrastão


*
A vida
Em arrastão
Leva tudo
Que vê pela frente
Sem querer saber
O que a gente sente
Sem se importar
Se dá conta
Ou se é dissidente
Dessa coisa louca
Incoerente
Que de forma insistente
Faz-nos seguir em frente
Em arrastão
O corpo se arrasta
A gente se esforça
A mente se arrasta
Problema se instala
Em arrastão
Esforço violento
Vira um tormento
Faz mal o arrastão
Se torna lamentação
Nesse turbilhão
Em arrastão
Não se vê razão
Para redenção
Arrastão
É motivo de reflexão
Embora nos deixe em lentidão
Para desvendar o arrastão
Resume a intenção
O mistério desse arrastão
Nessa vastidão
Que envolve a multidão
Como religião
Arrastão
E seus enigmas
Terá sua razão
Esse turbilhão
Em arrastão
Haverá explicação
(Eneida Freire)
23/07/2010
*

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Brisa ou Programação


*
Do que precisamos
Brisa ou programação
O que queremos
Pensamos
A brisa vai nos levar
Deixamos
Ou buscamos
Intensa programação
Em propagação
Deixar a brisa nos levar
Um feito
Eleito
Uma entrega
Uma trégua
Um descanso
Aproveitar o balanço
Aproveitar o lazer
O que dá prazer
Repouso corporal
Repouso mental
Aproveitamos
O lazer é fundamental
Para o descanso mental
Mentes cansadas
Trabalhos intelectuais
Nossos ideais
Programação em brisa
O que se visa
Evoluir
E encontrar a paz
Na brisa ou na programação
Importante a meditação
Com consciência
Em transparência
Na brisa ou na programação
Suaves como uma brisa
Fortes como uma ventania
Depende de quando se vê
Depende de como se vê
Na brisa ou na programação
(Eneida Freire)
16/05/2010
*

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

A Carne é Fraca


*
A carne é fraca
Muito fraca
Que coisa chata
Parece sem consistência
Uma indecência
Uma doença
A carne é fraca
Sem força
Por mais esforço
Que se faça
Preferível a couraça
Quando a carne é fraca
Preferível até a mordaça
Senão se vai à caça
A carne é fraca
E vira uma contenda
Quanto ao que se deve
E o que se consegue
O que fazer
O prazer  
Torna-se um desprazer
Qualquer ato
Uma ameaça
A carne é fraca
E não nos sustenta
Por mais que se inventa
Vira uma tormenta
Querer caminhar
Ou até voar
E a carne não deixar
Pois a carne é fraca
Nem adianta tentar
O negócio é esperar
A alma quer vaguear
O corpo quer descansar.
A carne é fraca
E nada pode ser feito
A não ser esperar
Para melhorar
(Eneida Freire)
09/05/2011
*

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Avisos


*
Aviso que estou cansada
Cansada até de falar nisso
Aviso que estou sobrecarregada
Aviso que estou cuidando disso
Aviso que tenho compromisso
Aviso que tudo o que chega em desaviso
Torna tudo um improviso
Um aviso para mim mesma
Um aviso salutar
Uma força para lutar
Pois ficar de sobreaviso
É uma forma de se cansar
E quero tudo solucionar
Costumo a tudo abraçar
Isso não faz o tempo sobrar
Para a mim mesma visualizar
Sem tempo para me cuidar
Para me dedicar
Ao que gosto de lidar
À minha moda devotar
Mas aviso
Que tudo que chega quieto, no escuro
Deixa-me em dificuldade, em apuro
Coisa difícil de lidar
Mas busco o conforto de pensar
Que devo disso usar
Para meu ser aprimorar
Saber improvisar
A tudo cercar
A tudo remediar
Preciso a mim mesma avisar
Para não viver de sonhar
E o meu caminho galgar
Para a tormenta se findar
(Eneida Freire)
03/08/2010
*

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Aprender a Viver


*
A vida é um aprendizado
É fato
Demora-se a aprender
Que aprender é bom
Aprender a viver
Passa pelo âmbito
Passa pelo hábito
Do respeito próprio
Condição primeira
Para adequação à vida
Aprender a viver
É aceitar
Algumas vezes
Sem entender
Ou sem questionar
Ou questionar
E não compreender
Aprender a viver
É se conhecer
Aprender a viver
É gostar da lição
Vê-la como útil
Ser sutil
E é fácil
Ver como útil
O que é prático
E a vida é prática
Aprender a viver
É entender
A praticidade da vida
Mas só se aprende a viver
Tratando tudo
Com deferência
A vida necessita de reverência
(Eneida Freire)
23/06/2010
*

sábado, 17 de setembro de 2011

De Corpo Inteiro


*
De corpo inteiro
A gente se encara
Frente a frente
Todos os dias
A gente ousa
Se enfrenta
Diante do espelho
Todos os dias
De corpo inteiro
E há de ser assim
Pois num dia
O belo é a curva
Noutro dia
O belo é a linha
(Eneida Freire)
12/11/2010
*

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Agitação e Entusiasmo


*
Agitação
Perturbação
Foge o entusiasmo
Parece sarcasmo
Não conseguimos escrever
Não concatenamos idéias
E então paramos
Tentamos acalmar a mente
Senão ficamos doentes
Paramos
Para continuar depois
Na loucura do dia a dia
Cuidando da perspectiva
Uma alternativa
Fazendo o atrasado
Deixando algo de lado
Tomando as rédeas da situação
Senão...
Fazemos o que gostamos
Para a vida aprontamos
Da expectativa gostamos
O dia preparamos
Sem hipocrisia lutamos
E quando da agitação
Sem intenção
Não nos sobra tempo
Em nenhum momento
Para o entusiasmo
Embora necessário
Para enfrentarmos
Os desafios
E a agitação
Tem hora que toca
E não invoca
O entusiasmo
Decorrente da agitação interna
O entusiasmo hiberna
E sem agitação
Não há entusiasmo
Tentamos acalmar a mente
E escrevemos loucamente
Embora agitação ainda constante
E vibrante
Não nos deixa sossegar
Não deixa a mente parar
Roda como um disco
Arisco
Ininterruptamente
Concatenamos então
Entusiasmo e agitação
Modernizamos nossos métodos
Reorganizamos nossas rotinas
Conseguimos eficiência
Nessa agitação imensa
E então no entusiasmo
E força da alma
Finalmente
Em nossa mente
A satisfação se instaura
(Eneida Freire)
24/06/2010
*

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Questão de Ponto de Vista


*
Dar chance ao tempo
Dar tempo ao tempo
Coisa que não funciona
Sempre à frente de nosso tempo
Fazemos nosso próprio tempo
Sem receio de ousar
Queremos a tudo controlar
Questão de ponto de vista
Há tempo de plantar
Há tempo de colher
Há tempo de apresentar
Há tempo de vender
Há tempo de dar
Há tempo de receber
Permitimo-nos receber?
Questão de ponto de vista
Gostamos de cores
Então vemos tudo colorido
Ou vemos tudo mais colorido
Porque gostamos de cores?
Questão de ponto de vista
A vida é mais tranqüila
Porque a vemos em festa?
Ou é a vida vivida em festa
Que torna tudo mais tranqüilo?
Questão de ponto de vista
Podemos ficar deslumbrados
Podemos deixar as coisas acontecerem
Desejamos conquistar
Desejamos ser conquistados
Permitimos ser conquistados?
Questão de escolha
Questão de ponto de vista
E há o tempo de receber
Coisa difícil de aceitar
De esperar
Mais fácil é fazer
Mas melhor ainda é ver
A vida como espetáculo
Questão de ponto de vista
Homenageá-la ou não
Buscando o que há de bom
Dentro de si
Em construção
(Eneida Freire)
10/08/2010
*

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Beleza Esteticamente Perfeita


*
A beleza retrata
Harmonia de formas
Estética que trata
Do belo
E não apenas dele
Mas também do sentimento
Que faz nascer em virtude
De algo com que se contacta
Beleza esteticamente perfeita
Expressão da forma mais simples
De sentir
De conceber a vida
Expressar-se assim
Revelar-se
A própria auto-estima
O charme individual
O realce
Do que se tem de melhor
Do diferente
Do diferencial
Belo
O charme de cada qual
Independente de padrão
Tudo é real
Também é belo
O que não é óbvio
A valorização da cultura
Que oferece auto-estima
Consistente
Beleza real
Que o tempo não consome
Não ofusca a mente
Não se vê minimamente
Furtivamente
A bagagem permanece
Indefinidamente
Pode-se ser simples
Nessa beleza extrema
Em charme
Em magnetismo
Sutilezas
De belezas
Química
Segredo natural
Incrivelmente
Simplesmente
Simplesmente incrível
(Eneida Freire)
21/10/2010
*

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Para Colorir


*
Para colorir
Usa-se o coral
Coral colore um dia cinza
Uma cor para um bom dia
Nada melhor que um bom dito ‘bom dia’!
Nada melhor que alguém pensar em você
E simplesmente querer te dizer ‘bom dia’!
Isso é colorir
E como é bom alguém colorir seu dia!
E não precisamos de muito para colorir...
Sim, bom humor é requisito
Senão fica tudo esquisito
O coração fica aflito
Melhor é colorir
Colorir o mundo
Colorir a alma
A natureza contribui
Estilistas bem humorados contribuem
Para colorir
Precisa-se guardar a infância na alma
Para colorir
Precisamos ter calma
Para colorir, não importa
Se a maioria é cinza
Se o céu está nublado
Se a flor de cactus não se abre
Pois ela está ali
Aguardando o sol para se abrir
Aguardando a oportunidade de se abrir
De se mostrar
De colorir
Se a maioria for cinza
Você não precisa seguir
Porque sempre é hora de colorir
E se colorida não se encontrar sua alma
Com certeza é hora de parar
E refletir
Para colorir
(Eneida Freire)
11/08/2010
*

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Dormir é um Sonho


*
Quero dormir
A vida sentir
Melhor
E sem esforço
Sem horário para acordar
Um dormir até acordar
Sem o despertador tocar
Um sono saudável e leve
Sem picos de concentração
Entregar-me ao sono
Dormir, um sonho
Repousar
Conservar-me imóvel
Um dormir com
Um dormir para
Ou simplesmente dormir
Sem nada de mim exigir
Vejo muita luz na minha frente
Mas o corpo é mais fraco que a mente
Ele precisa descansar
Acontece que ocorre o pior
A mente também está cansada
Fatigada
Necessitando se tranqüilizar
Relaxar...
Dormir é mesmo um sonho!
(Eneida Freire)
22/12/2010
*

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Verossímil


*
Verossímil
Preferível
Verdadeiro
Pé no chão
Preferível
Roupas confortáveis
Alimentos saudáveis
Calçados estáveis
Analisar
E crer
Em bem estar
É bem provável
É crível
Verossímil
Melhor provar
Experimentar
Provável
É o que pode acontecer
Melhor não prever
E tentar
E experimentar
Cada peça
Uma obra poética
Uma realidade
Um postulado fecundo
Identidade com a estética
Escolhas particulares
Cada qual com sua verdade
A fantasia é particular
A verdade de cada um
O verossímil peculiar
O particular da fantasia
Visto como impossível
O autêntico verossímil
O impossível
O verossímil
Uma fantasia possível
É preferível
Crer no impossível
Do que no que se vê possível
E que na verdade
Seja inacreditável
(Eneida Freire)
10/11/2010
*

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Carisma


*
Ter carisma
É ter um dom
E é bom
Quando expressado
Desenvolvido
Expandido
Demonstrado
Carisma
Expressão do bem
Reflexo da alma
Num jeito de falar
De se vestir
De se exprimir
Carisma
Convite à harmonia
Pelas formas
Pelas cores
Carisma
Um convite à paz
Pela suavidade capaz
Carisma
Boa informação passada
Que é respeitada
Bem interpretada
Sem ser equivocada
Vestir carisma
Agregar qualidades
E encantar
Medida difícil de se equilibrar
O negócio é tentar
Adequar
Eis a harmonia do estilo
Tornando-se qualidade
Em coerência consigo
E dá-se a qualidade no viver
O carisma no vestir
Carisma próprio de cada ser
Ponto de equilíbrio
 (Eneida Freire)
27/08/2010
*

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Atração


*
Atração
Uma força
Uma compulsão
Força de atração
Com o que se afiniza
Com o que se resgata
Requisitos para atrativos
Que não podem ser inexpressivos
Algo imponente
Positivamente
Havendo de ser distintivo
Combinações
Composições
Trazem satisfações
Formas assimétricas
Sem ser desconexas
Fugindo do convencional
Nada sobrenatural
Estampas variadas
Peças raras
Encontradas
Garimpadas
Variadas
Atração
Espaço no coração
Liberdade de montão
Deixando a alma voar
Arrastando os móveis
Colocando-se a dançar
(Eneida Freire)
28/07/2010
*

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Construção em Jardim


*
Faz-se jardim
Mental
Literal
Jardim não se conquista
É coisa que se constrói
Deixa florir
Independe de espaço
Quando se compraz
A disponibilidade se faz
Se elabora
Se constrói
Construção em jardim
Bom pra você
Bom pra mim
(Eneida Freire)
30/07/2010
*

terça-feira, 19 de julho de 2011

Conversão

*
Cinzas
Dia cinza
Sem cor
O carnaval se acabou
Acabada a diversão
Começa o tempo de conversão
De reflexão
Seja ou não cristão
Voltar à realidade
Com dignidade
E que a festa farta
A alegria se reparta
Posto que abundante
Fulgurante
Que permita colheita
Sem fazer desfeita
Que haja conversão
Da diversão
Em verdadeira satisfação
Com o sorriso da felicidade
Em eternidade
Com sucesso
Em tudo expresso
Com sorriso estampado
Enfeite nos lábios
Sejamos sábios
(Eneida Freire)
09/03/2011
*

domingo, 3 de julho de 2011

Conceitos e Preconceitos

*
Conceitos fáceis
Lembram coisas delicadas
Gráceis
Conceitos que se confundem
Que se perseguem
Que ao antigo se referem
A um determinado artigo
Datado
Perfumado
Na lembrança da gente
Que se torna presente
Vintage
A safra, ‘vint’
A idade, ‘age’
Uma safra boa
Que em nós ressoa
Pois coisas antigas
Trazem-nos nostalgia
O retrô
Inspiração no antigo
Embora seja algo novo
Reflete perfume de uma época
De forma recíproca
Antigo e novo
Que agrada a um povo
E quem sabe assim
Valorizando o antigo
Não haja abrigo
Para o despeito
E que se desfaça
Qualquer preconceito
(Eneida Freire)
01/12/2010
*

segunda-feira, 27 de junho de 2011

A Beleza e a Ignorância

*
Há a beleza
Há a ignorância
Há a beleza que se ignora
Há a beleza que extrapola
Há a beleza que se destaca
E essa quase que se isola
Há a ignorância que mata
E essa também se destaca
Há a beleza que envolve
E essa a tudo absorve
Há a beleza estonteante
Há a ignorância dissonante
Há a beleza que alegra
Há a ignorância que cansa
Há a beleza em substância
Há o excesso de ignorância
E essa, a beleza cansa
Essa nos tira a destreza
Mas há a beleza em sutileza
Com toda a sua delicadeza
Há a beleza ignorante
E essa encanta o semblante
(Eneida Freire)
30/04/2011
*

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Vontades e Preparativos

*
Entrar o ano de branco
Coisa minha
Limpeza de alma
A vontade é de vencer
De fazer tudo render
E hoje consegui
Mais uma façanha
Sem fazer barganha
A não ser comigo mesma
Para ter a certeza
De que eu ia vencer
E me preparei
Para dar conta
Sim
A gente se apronta
E a vida enfrenta
Sem afronta
Aprontar-se
É preparar-se
Ter vontade
De verdade
De fazer
E de vencer
(Eneida Freire)
04/01/2011
*

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Vida Teatro

*
Vida
Teatro real
Pode ser drama
Quando se inflama
Ou Comédia
Quando inédita
Uma forma de expressão
De persuasão
Representamos personagens
Em muitas paragens
E o fazemos diariamente
Corriqueiramente
Acompanhamos
Somos acompanhados
Indiscriminadamente
Por onde vagueiam nossas mentes
Sem destino
Passeando
Ociosamente
E a vida virtual
Por muitas vezes
Salva as pessoas
Do pânico
Da vida real
Conectando amigos distantes
Conhecemos pessoas brilhantes
A modernidade
Uma possibilidade
Um oportunidade
De conexão
De integração
E interação
(Eneida Freire)
13/09/2010
*

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Pressa

*
Hoje não é dia de pressa
Nem dia de urgência
Hoje é dia de presteza
Dia de paciência
Paciência com a gente mesma
Mesmo em grande atividade
Tudo em súbita necessidade
Hoje não é dia de pressa
De fazer tudo depressa
Hoje é dia de promessa
Promessa de descanso
Dia de remanso
Dia em que se confessa
Prestar atenção na travessa
Hoje não é dia de pressa
Hoje é dia de deixar a paz expressa
(Eneida Freire)
26/03/2011
*

terça-feira, 31 de maio de 2011

Arremates

*
Há épocas do ano
Em que são feitos arremates
Mesmo que esses arremates
Sejam feitos de combates
E nesses embates
Verificamos nossa resistência
Nossa vontade de vencer
Nossa disposição em crescer
Pensamos em presentes
Pensamos em sementes
Em fazer florescer
Pois ainda é primavera
Tempo de brotarem as flores
Curtir os amores
Tentar espairecer
Para arrematar
Concluir o ano
Lavrar o semeado
Nesse terreno sulcado
Que é nossa vida
Que se arremata
Conforme a lida
(Eneida Freire)
20/12/2010
*

sexta-feira, 27 de maio de 2011

À Mostra

*
Estamos à mostra
Sempre
Independentemente da proposta
Começar a se gostar
Quanto antes
Melhor começar
Ter-se-ia aproveitado mais
Se soubesse temperar os sais
Não se pode salgar
Nem adoçar demais
À mostra
Difícil acertar no tempero
Cada um tem seu exagero!
Quem é que não precisa de mais uma demão?
Quando se está à mostra, em exposição?
Necessitamos nos atentar
E por aí vai
E não se abstrai
Cuidar da moda saúde
Cuidar da moda amiúde
Cuidar dos sentidos
E do que estamos vestidos
Autenticidade
Sua legitimidade
Em consciência
O que está à mostra
Em evidência
(Eneida Freire)
09/12/2010
*

quinta-feira, 26 de maio de 2011

A Meu Favor

*
Quero buscar a energia boa
A meu favor
Usar essa energia
A meu favor
A energia que tenho
Ao meu dispor
Analisando a forma de estar no mundo
Num sentimento profundo
Cuidando da energia vital
Isso é fundamental
Não jogando fora
O que me vem de bom
Não desperdiçando energia
Fazendo poesia
Melhorando
O meu padrão energético
Cuidando também
Do que é estético
Buscando coisas boas
Intensificando nas terapias
Cuidando das euforias
Quebrando bloqueios
Em trabalho diário
Que seja prazeroso e voluntário
Posto que exigente de prática e estudos
Administrando os escudos
Elevando as expectativas
Acreditando
Merecendo boas energias
Entoando melodias
Sonhando grande
Com energia para crescer
Ascender
Buscar energia
A meu favor
(Eneida Freire)
27/12/2010
*

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Acordar Cedo

*
Acordar cedo
Ver o dia amanhecendo
Acordar cedo
Desde que está fresco
Aproveitar cada segundo
Fazer a vida render
Estar ativa desde logo
Com os pássaros
Um ser análogo
Há sempre muito a fazer
Acordar cedo
E água limpa beber
Acordar-se
Colocar-se de acordo
Ativar-se
Animar-se
Despertar-se
Para criar
Porque criar é gerar
É dar existência
E não se cria no tumulto
Moda
Arte
Pura criação
Habilidade
E cedo
Não tarde
Tudo é mais calmo
Facilita criar
Pode-se observar
(Eneida Freire)
04/11/2010
*

terça-feira, 10 de maio de 2011

Circunstância

*
Uma circunstância
Uma particularidade
Tira o foco
Sufoca
Fica atrasado
Acumulado
Circunstância
Nova forma de comunicação
Acompanha um fato
Uma situação
Desvirtua
O objetivo inicial
Circunstância
Nova complicadora
Avassaladora
Precisa-se organizar
A cada nova circunstância
Precisa-se inventar
Uma nova linguagem
Um meio termo
Por força da circunstância
Trabalho atrasado
A ser organização
Necessidade imperiosa
Coisa escabrosa
Alterar o estado atual
Que tirou tudo do normal
Estado aleatório da coisa
Circunstância
Possui força
E altera sutilmente
E de forma avassaladora
Uma situação na vida
Mas circunstância é neutra
Em sua essência o é
Ela não é má
Pode ser agravante
Ou atenuante
As rédeas da situação
Afrouxa
Circunstância impositiva
Barreira que se vence
De forma positiva
Analisa-se prioridades
A meta é dar a largada
E a circunstância
Tempo raramente hábil
Pode ser favorável
Remodelando hábitos
Com atitudes concretas
Embora discretas
Para a solução das questões
Melhorando o desempenho
De tarefas cotidianas
Atentar-se à circunstância
Imperioso se faz
Mesmo a quem não compraz
Pois quando as coisas caminham bem
Vai-se além
Acrescenta-se atividades
E quando vão mal
Joga-se tudo pro alto
Rompe-se barreira
Da circunstância certeira
Sendo criativo
Um atrativo
Firmeza de propósito
Força de vontade
Em mobilidade
Em esperança
E confiança
Haja circunstância
(Eneida Freire)
*
12/07/2010

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Coleção Vibrante

*
Verão
Uma quente estação
Coleção vibrante
Empolgante
Tons claros
Tecidos raros
Nudes
Quase transparentes
Discretos
Corretos
São hoje
Dificilmente vistos
Pouco escolhidos
Cederam lugar
À coleção vibrante
Tons abertos
Tempo aberto
Mentes abertas
Espertas
Atentas
À coleção vibrante
Para alguns
Nada elegante
Para outros
Apreciadores de intensidades
E novidades
Fazem sucesso
Isso é expresso
Os que se arriscam
Nas cores frias
Essas refrescam
Ganham espaço
É só escolher
E colher
As cores queridas
Aparecem em tudo
Na coleção vibrante
Para os mais românticos
Tons em pastel
Para os mais agitados
Cores quentes
Questão de atração
E receptividade
Escolhas
Possibilidades
(Eneida Freire)
*
14/01/2011

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Agradeço

*
Agradeço
Agradeço esse tormento
Que me traz sofrimento
Mas também crescimento
E nesse momento
De descontentamento
Bendigo o complemento
Desse suplemento
Que é para a alma movimento
*
24/07/2010

terça-feira, 12 de abril de 2011

Vínculos Emocionais

*
Vínculos
Laços que criamos
Liames
Formas a que nos apegamos
Coisas com que nos afinizamos
Retorno emocional
Às vezes desproporcional
Às vezes pensamos
Nenhuma razão
Para nos apoiarmos ás idéias
A que nos vinculamos
Uma dose de esperança
Vinda de bonança
Em relação a elas
Em relação ao futuro
Vinculado às emoções
Vínculos emocionais
Entendemos lealdade
Fidelidade a nós mesmos
Hábitos criados
Condição para nos sentirmos bem
Vínculos emocionais
Criados por nós mesmos
Que nos fazem viver melhor
Sentirmo-nos bem
O ruim ocorre
Quando nos envolvemos
Excessivamente emocional
Razão encobertada
Paramos para refletir
Com o auxílio da intuição
Vínculos emocionais
São afinidades de interesses
Que descobrimos
E produzimos
Compromissos conosco
Chamados emocionais
Refletores de nossa personalidade
Reveladores de laços
Construções
Pelos caminhos trilhados
Por mais racionais que sejamos
As emoções sempre encontram
Algo de conflitante
Mutação constante
Constante crescimento
Mudança de interesses
Vínculos emocionais
Formas de arte
Que encontramos
Para tornar mais racionais
E compreensíveis
Nossas emoções
*
06/04/2010

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Páginas em Novidades

*
Crio páginas
Páginas em novidades
Vivo criando
E me reinventando
A cada surpresa
Numa destreza
Numa presteza
Em me perpetuar
Isso me proporciona renovar
Renovam-se os ares
As cores
As flores
Os cantares
Os amores
Através das novidades
Necessitamos praticidades
Não gosto de expectativa
Mas aderi à contagem regressiva
São novos projetos
Novas perspectivas de vida
Crio páginas de vida
Páginas em novidades
Nas guias
Nos cabeçalhos
Páginas da minha vida
Páginas de novidades
Crio páginas de detalhes
Detalhes fazem diferença
Para se ter em espírito
A presença
Assim me expresso
E me estampo
Em minhas diversas páginas
Fachadas
E estilos
A cada humor me guio
Embora me esforce em controlá-lo
Por vezes o controle me foge
E tudo explode
Páginas em novidades me renovam
Não me deixo levar pelo desamor
Nem pelo des-humor
Em não festejar a vida
Seja em preguiça
Seja em desânimo mental
Seja um mau sinal
Olhando positivamente
Necessitadamente
De esforço
De trabalho mental
Descobrindo-se uma novidade
Abre-se uma página na vida
Páginas em novidade
(Eneida Freire)
*
03/09/2010

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Paixão como Justificativa

*
Paixão
Arrebatamento
Que justifica a ação
Justifica bobagens
Justifica casamento
Justifica gastos
Antigamente
Os casamentos eram arranjados
E as pessoas descobriam-se
Hoje
As pessoas descobrem-se
E se casam
Por incrível que pareça
Os casamentos arranjados
Duravam mais que os descobertos
Tudo pelo desejo veemente
De fazer a coisa dar certo
Acreditar na coisa é fé salvadora
Havia as paixões impossíveis
Que transformavam-se em amores em luta
Paixões são justificativas
Para fazermos o que gostamos
Qualquer que seja a coisa
Uma compra
Um restaurante
Um chocolate
Paixão justifica-se
Pela satisfação
Paixão
Justificativa não calculada
Não estudada
Não programada
Paixão
Coisa que a gente acha que precisa muito
Paixão
Justificativa pra fazer o que lhe permite sentir-se bem
A paixão dura certo tempo
E se ela for se justificando ao longo do tempo
Transforma-se em amor ou em birra
Paixão transformada em amor
Justifica-se por si só
Paixão transformada em birra
Prejudica o próprio ser
Paixão
Só é boa justificativa quando soma
Quando te subtrai
Quando te faz gastar demais
Desgasta-te demais
Em dinheiro
Em neurônio
E não se justifica mais
Paixão é coisa perigosa
Que se justifica no escondido
Nos segredos
Nas sacolas
Nos amores
Paixão
Magia que se justifica boa
Paixão
Sempre arrebatadora
Vem como ventania
Abastece a vida
Mas que se dose sempre
Pois a ventania
Pode levar poeira aos olhos
E fazer cegar
Pode auxiliar a tocar o barco
Pode arrebatar
E também fazer afundar
Mas sem ela não se pode caminhar
Então
Haverá de se dosar
E permitir-se apaixonar
Paixão pela vida
Uma justificativa
(Eneida Freire)
*
24/05/2010

quarta-feira, 30 de março de 2011

Deixar o Barco Correr

*
Há momentos
Em que é melhor
Deixar o barco correr
E o seu fluxo
Nem tentar interromper
Deixá-lo se mover
Conforme seu prazer
Deslocar-se
Mesmo que a correr
Quando em sábado
E a gente inventa um babado
E outro
E deixa o barco correr...
(Eneida Freire)
*
04/12/2010
*

terça-feira, 29 de março de 2011

Adornar-se

*
Adornar-se
Enfeitar-se
Quem não gosta?
Quem não sente
Que a vida presente
Torna-se insistente
Em se decorar?
Principalmente
Com chuvinha fina
Entrando no clima
Fazendo nossa rima
Quem da vida não se lastima
O mundo se anima
Adornar-se
Coisa boa de se fazer
É acordar-se
Para a vida aprontar-se
Escolher uma roupa
É retratar sentimento
Ou escolher o sentimento
Que te vestirá no dia
Sim, podemos errar o caminho
Mas podemos também
Escolher a paisagem
A mensagem
Que queremos passar
E que queremos adquirir
E podemos decidir
Se vamos do mundo reclamar
Ou se vamos a vida aclamar
Adornar-se
Ou negar-se
Questão de escolha
Perder-se os encantos
Tecer a tristeza
Ou usar de energia
E adornar-se com alegria
(Eneida Freire)
*
02/11/2010

segunda-feira, 28 de março de 2011

Almas e Costumes

*
Cada qual
Com seus princípios espirituais
Cada qual
Com suas qualidades morais
Cada qual
Refletindo sua grandeza de alma
Da forma como entende seu caráter
Como expressa sua consciência
Conforme sua preferência
Cada qual
Com sua forma de expressão
Mais do que se vestir
Mais do que o corpo cobrir
Ou sua mente ocupar
É o reflexo da alma
Através dos costumes
Muitos rompem barreiras
Outros limitam os gêneros
Moda
Incursão aos armários
Costume de se vestir
Alma vivente
Em exploração
Abre janelas
Possibilidades
Desperta vontades
E também valores
E essa incursão
Fornece-nos avaliação
De cores
Modelos
Estampas
Tecidos
São muitas as variantes
E as variáveis
Muitas as possibilidades
O vestir
Ou o refletir
Causa problemas de convívio
Coisa incrível
Almas
Expressam seus costumes
Exercem sua cidadania
Motivo de uma hostilidade
Pessoas infelizes consigo mesmas
O vestir
E o expressar
O modo da alma caminhar
Não apenas o ato de reproduzir costumes
Mas a produção
A criação de costumes próprios
Arte é criar
Almas e costumes
(Eneida Freire)
*
11/10/2010

domingo, 27 de março de 2011

Barulho

*
Vestir-se
De forma extravagante
É fazer barulho
Vestir-se
Com cores fortes
É fazer barulho
Tem gente
Que comemora
Em altos brados
Tem gente
Que gosta de sofrer
Em voz alta
Tem gente
Que tem horror ao barulho
Tem gente assim
Que acha ruim
O barulho constante
Intermitente
Gostar de barulho
Pode não ser à toa
Tem gente que gosta
De uma farra boa
De marcar presença
Tem gente intensa
Mas barulhos intermitentes
Insistentes
Não oferecem intervalos à mente
Mesmo coisa boa
Pode cansar a pessoa
Que precisa de intervalo
Para outro embalo
Para que haja vontade
De que haja mais
Mais tarde
Seja festa
Ou seja viagem
Como as estações
Com suas rotações
As quentes e as frias
E por aí vai
Há quem goste dos barulhos
Que irritam os outros
Todo barulho que é forte
Nos torna alertas
Cores
Produções
Formas de expressões
Um tom de voz
Um barulho
Dá brilho extra a tudo
E só ousando
Fazendo o nosso barulho
Descobrimos
Nossos talentos
Nosso potencial criativo
Pois nos permitimos
Em novas descobertas
Nos abrimos
Para novas idéias
Mas o limite
É não poluir
Pois muitas idéias só servem
Para brincarmos com elas
É saber
Através da linha tênue
Entre o agradável e o impositivo
O que incomoda
E o que faz bem
Porque não é só o que nos incomoda que faz barulho
Nem mesmo só o que faz barulho que nos incomoda
Podemos estar tão acomodados ao barulho do que é ruim
Que quando uma oportunidade nos bate à porta
O barulho desse bater nos incomoda
E vemos essa oportunidade com pessimismo
Como um barulho ensurdecedor
E reclamamos do barulho
Sem pensar se esse barulho seria uma oportunidade
Atenção
Isso é uma verdade
*
17/06/2010

Bem Resolvida

*
Resolver
Buscar elementos
Constituintes de algo
Tomar uma decisão
Quanto a essa coisa
Resolver-se
É conseguir definir-se
É conhecer-se
É fazer a decomposição
Dos próprios detalhes
E, após conhecer-se
Resolver-se
Pois resolver-se
É não ter problema consigo mesma
Ou, vendo problema
Processar a informação negativa
E então
Tornar-se bem resolvida
Porque bem resolvida segue-se em frente
Com menos barreiras
Sem fronteiras
Por acreditar-se
Capaz de mais
Resolver-se
É ter liberdade
De ser você mesma
É aceitar-se
E quando assim
Ser capaz de ousar
E não pensar
Que a todo o tempo
Necessita mostrar-se
E o corpo marcar
E então conseguir ousar
Para o próprio deleite
Para o próprio conforto
Ousar
É se acreditar
Experimentar
Se aperfeiçoar
E só se consegue
Essa liberdade
Se bem resolvida
Liberdade
Palavra que se sonha
Que se alimenta
Que não se explica
Que todos almejam
Que todos entendem
Liberdade
Palavra que só se vive
Se bem resolvida
(Eneida Freire)
*
27/10/2010

quarta-feira, 9 de março de 2011

Caixa de Aleatórios

*
Uma caixa
Comentários
Aleatórios
Assuntos diversos
Que fogem do assunto
Caixa de idéias
Sejam velhas
Ou estréias
Em sugestões
Inspirações
Divagações
Ou divulgações
Caixa de aleatórios
Em troca e interação
Recurso em participação
Que se expresse
Em interesse
Em comunicação
Montada em sugestão
Aguarda-se participação
Faz-se interação
Em cada estilo
Cada suspiro
Cada forma de pensar
De ver o mundo
E se expressar
Sem definir radicalmente
Sem nem mesmo rotular
Pra sugerir
Para criar
Mental e efetivamente
E na caixa colocar
Aleatoriamente
*
18/09/2010

segunda-feira, 7 de março de 2011

Evento

*
Um evento
Um advento
Um momento
Espera-se um acontecimento
Posto que seja um invento
Um convite
Um evento
Há que se programar
Há que se organizar
Há que se honrar
Ter boas idéias
De nada irá adiantar
Se não souber executar
E então muitos
Moribundos
Perdem-se em projetos
Fogem de seus objetos
Suas idealizações
Por muitos senões
Em qualquer evento
Em todo seguimento
Há que se focar
Para o êxito alcançar
Atenção ao objeto
Para alcançar o concreto
Não demonstrar fraqueza
Em incerteza
Um evento
Mostra a condição
Em que se encontra a visão
Que se tem de futuro
Que não pode ser um embrulho
Pois a cada dia construímos
Com nossas decisões diárias
Em idéias refratárias
Que tem que ser elaboradas
Em função do que queremos conquistar
Objetivos
Atenção aos mínimos
Em meio às inconstâncias
Às mutabilidades normais
Diante de temas pontuais
Para ao intento chegar
Ao que almejamos alcançar
Devemos, pois, de cada evento
Minuciosamente cuidar
*
19/08/2010

Explorar Paris

*
Por Paris andar
Explorar
Aproveitar
Explorar a cidade a pé
Visitar Igrejas
Exercer a fé
Passear pelos jardins
E lugares afins
Passear por Paris de dia
Entrar em uma cafeteria
Passear por Paris à noite
A divina côrte
Explorar
Embarcar
Cruzeiro pelo Rio Sena
Diante de tanta grandeza
Sentir-se pequena
Nas charmosas embarcações
Os “bateaux-parisiens”
Explorar
Contemplar os monumentos iluminados
Ornados
Junto às pontes do Sena
Belíssima cena
Descobrir a Cidade Luz
Que reluz
E seus poemas
Com suas obras iluminadas
Ilustradas
Tudo de maneira espetacular
Cultura secular
Paris, vale explorar!
*
13/10/2010

Festejos e Desejos

*
Época de festejos
Época de desejos
Época de lampejos
De ternura
De ventura
De comemorações e mesuras
E quem muito festeja
Algo deseja
Nem que seja
Estar junto
Pra trocar assunto
Pra fazer conjunto
Só pra estar junto
Festejar a vida em conjunto
Em harmonia
Pra festejar a vida
Tornar perfeito o dia
(Eneida Freire)
*
19/12/2010

Foco

*
Definir o foco
Medir as coisas
Para caberem no contexto
Não analisar a vida em bloco
O que houver de se fazer
Que não seja do desânimo um pretexto
Que seja um prazer
Sim, difícil focalizar
Se concentrar
Realizar
E ainda gostar
De muita coisa
Perdendo o foco
Fica-se disperso
Parece tudo controverso
Não se sabe o que vestir
Pra onde ir
Ficamos em dispersão
E dizem
Essa desatenção
É advinda da comum multi-tarefação
É preciso concentração
*
09/11/2010

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Fatos e Verdades

*
A semana começa
E a gente se esforça
É fato
Tem que ter tato
Mesmo que a semana se iniciasse ao meio
Mesmo que nos permitisse devaneio
Gostaríamos de feriado
Quem não se sente sufocado?
Nenhum fato é eterno
Por melhor que seja
Voltamos à peleja
Que tudo tem sua evolução natural
É fato
É real
E um fato eterno
Não seria certo
Seria a estagnação
Nenhuma moda se perpetua
Por mais que dure
Não se imortaliza
Mesmo que ela volte
Não se eterniza
Posto que não volta nunca
Na mesma moldura
É sempre uma mistura
Repaginar é uma arte
Uma arte da verdade
Adequando-se à realidade
Não, os fatos não são eternos
Mas é bom que não sejam
Por melhores que se apresentem
Pois coisas melhores virão
Para todos aqueles que sentem
Não, as verdades não são absolutas
Elas dependem das conjunturas
Por isso as novas molduras
Mudam conforme as estruturas
E para cada coisa que entendemos boa
Façamos nossa semeadura
*
03/11/2010

Exercício

*
Exercício
Que exercita o corpo
Que exercita a mente
Pra gente ir pra frente
Combinando passadas com respiração
Combinando tempo e emoção
Na atividade
Adquire-se vigor
Com muito labor
Atividade física
Atividade mental
Desafio pra se iniciar
E quando se inicia
Não se quer parar
Exercício mental
Consolida na vida a lição
Exercício físico
Consolida a intenção de superação
A vontade que dá
É de se conjugar
E a mente trabalhar
Tempo de exercício físico
O ideal é tentar zerar
Eis da descoberta
A celebração
Parar pra observar
O céu
Como um véu
A dança dos pássaros
Bárbaros
Concentrar-se
No exercício do corpo
Perder-se um pouco
Permitir-se desvincular
Se desligar
E é possível
O suplício não é tão grande
Permitir-se a mente exercitar
Em outro diapasão
Em afinação
O corpo exercitar
Forma de brincar
E quem sabe brincando
A vida não tem mais encanto
*
27/05/2010

Extravagância

*
Extravagância
Extra-vagar
Vagar no extra
No fora do comum
Fora das normas usuais
Na excentricidade
Coisa esquisita
Rara
Singular
‘Exquisite’
Algo raro
Extraordinário
Primoroso
Fino
Apurado
Pontos de excentricidade
Mesmo no mais apagado
Algo que diferencia
Que se evidencia
Nem mesmo os santos
Muito pelo contrário
Os santos não foram
De forma alguma
Pessoas apagadas
Pessoas comuns
Os santos encantavam
Pala extravagância
De seus feitos extraordinários
Revelando relevo e graça
A vida que se abraça
Em distinção e cores
Exercendo criatividade
A todo instante
Ato constante
Deliciosamente
Rigoroso processo
De procura de novos métodos
De novas técnicas
Desenvolve-se o potencial
Fenomenal
Sem limitação
Em invenção
Em crescimento
E desenvolvimento
Dos potenciais
Essenciais
*
05/05/2010