quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Arrastão

*
A vida
Um arrastão
Levando tudo
Tudo o que vê pela frente
Sem querer saber de nada
Sem querer saber da gente
De nada do que a gente sente
Sem se importar
Se a gente está dando conta
Ou se a gente é dissidente
Dessa coisa louca
Incoerente
Que de forma insistente
Nos faz ir pra frente
Quando o corpo se arrasta
A gente se esforça
A mente mais que o corpo é poderosa
Mas quando a mente é que se arrasta
Problema maior se instala
Porque o corpo é fraco
E não subjuga a mente
Quando a mente não comanda
A vida segue em arrastão
Esforço violento
Vira um tormento
E nos faz mal esse arrastão
É ruim a lamentação
Nesse turbilhão
A gente não vê razão
Para idéias de redenção
Mas de soslaio
E em teimosia
Há a dose de esperança
De viver em alegria
O futuro será melhor que o presente
Um dia a gente vai dar conta da gente
O arrastão é motivo de reflexão
Embora nos deixe em lentidão
Desvendando o arrastão
Uma consolação
Resume-se a intenção
Do descobrimento
Do mistério
Desse arrastão
Nessa vastidão
Que envolve a multidão
A linguagem
A religião
O arrastão e seus enigmas
Mas terá os seus motivos
E esse turbilhão
Haverá de ter explicação
*
23/07/2010

3 comentários:

Haylla disse...

Nháá que lindo esse post.
Adorei'
www.lojazart.blogspot.com

Betty Gaeta disse...

Oi Eneida,
Nunca tinha entrado neste seu blog. É lindo. Adorei o poema sobre o arrastão da vida, tem muito ritmo, é perfeito.
Bjkas e uma ótima 4ª – feira para vc.

http://gostodistonew.blogspot.com/

Eneida disse...

Obrigada pelas visitas!
Que bom que gostaram!
Beijos!