quinta-feira, 3 de junho de 2010

Semelhanças em Negro

*
Essa semana
Percebi
E tudo revi
Interessante semelhança
No meu modo de vestir
Algo que se repetiu
E repercutiu
Em todos os dias úteis
Normalmente não ocorre
Pois a cor me socorre
Assemelhar-se a opostos é útil
Nada tem de fútil
Teor de pensamento
Em cada momento
Repetido
Ao longo dos dias
Sabedorias
Normalmente o que nos vestimos
Tem a ver com nosso humor
E em vigor
Segue nossa aparência
Sem displicência
Em conformidade com nosso íntimo
Intrínseco
A constância em negro
Não faz muito meu estilo
Não é do meu feitio
Mas essa semana
Em cor preta soberana
Segui em negro
Coisa rara de se ver
Não conseguiria prever
Mas o negro
Não me afetou negativamente
Vigiei-me continuamente
Refletiu
Meu estado de ânimo
Com poucas cores
Os meus amores
Criando focos opostos de atenção
Não escolhidos de antemão
Não refleti as alegrias
Nem mesmo os encantos
Que tanto me aprazem
E me satisfazem
Semelhanças em negro
Não me apagaram
E ainda me fortaleceram
Creio que eu precisava
E com isso contava
Desse tempo em negro
A semelhança em negro
Processando um segredo
Alterou a lógica
Com que me conduzo
A auto-expressão criativa
Que busco a cada dia
Essa semana ao negro
Que se assemelhou
E se diferenciou
A semelhança em negro
Favorecimento
A concentração necessária
Para o amadurecimento
De questões prementes
Presentes
*
30/04/2010

Nenhum comentário: