sábado, 22 de maio de 2010

Depurando o Pensamento

*
Depurar algo
Tentar torná-lo puro
Tento depurar meu pensamento
E nesse intento
Estive pensando
E comungando
Com gente que fala pouco
Mas diz uma imensidão
Sem turbilhão
Falas são carregadas
De sentimentos tomadas
Falam o que lhes vêem da alma
Com tranquilidade e calma
E como essas pessoas falam pouco
A alma é pensativa
Reflexiva
Não explosiva
Depuram o pensamento
Com mais facilidade
E sou do tipo que busca
Sabedorias alheias
Para meu burilamento
Faço meus apontamentos
Mas apesar de admirar
Quem fala pouco
E com imensidão
Falo muito
Pois na minha vida
Não sei fazer resumo
Mas sei fazer esquemas
E diagramo os problemas
Sempre estudei assim
E falando assim
E aqui
Depuro meus pensamentos
Tenho manias
Fobias
Que me prejudicam
Que danificam
E são difíceis
Responsabilidades intransferíveis
De obrigações que não são minhas
De deveres que eu não tinha
Adquiro amarras emocionais
Que não deveriam
Ao menos a princípio
Ancorar-se em mim
Sobrecarrego-me
Por aqui, pois, me vêem
Por aqui depuro meus pensamentos
Por aqui escrevo
Meu livro diário
Recheado de imaginações
Por aqui permito
Como um mito
Ser traduzida
Facilmente ou não
Através de minhas peripécias
E vicissitudes cotidianas
Um livro
Ser escritor
Decifrado pela imaginação
A mente em viagem
Depurando o pensamento
*
28/04/2010

2 comentários:

Camilla disse...

Eu gosto muito dos textos que você posta. Geralmente algum quadrante deles se encaixa em coisas que eu vivo.

Muito interessante mesmo.

Beijos x:*********

Eneida disse...

Camilla, é interessante mesmo! Falar da vida é assim, a gente vai decifrando...!
Beijo!