quinta-feira, 18 de março de 2010

Cartas

*
Antigamente havia cartas
Pois a distância era enorme
Hoje não se desgruda
Não se quer
Não se deseja desgrudar
Talvez
Ou certamente
Porque não se consegue mais a distância
Sim, claro, necessárias são as palavras
Necessário deixar consignado
Em forma de escrita
Ou poemas
Os desejos
Os anseios
As frustrações
Sim, querer deixar gravado o que se sente
Quando se vê
Quando se sente
Quando se sente seguro
Quando se sente os cabelos
Quando se segura pelos ombros
Quando se firma no outro
Intensamente
Definitivamente
Quando se vira o rosto
Quando não para
Mesmo quando tudo acaba
E insiste, persiste, repete, tudo, novamente
Ginástica acrobática
Um sufocar de quase morte
Segurar os pés de Deus
Um mar
Um momento
Um grito
Um socorro
Um quase morrer
Ou morrer de glória
É quase assim
Perto disso
Quase isso
*
10/03/2010

Nenhum comentário: