terça-feira, 23 de março de 2010

Julgamento

*
Julgamento
Isolamento
Um fragmento
Julgar
Frisar
Pelo modo de se vestir
E se revestir
Coisa complicada
Embaraçada
Vestir-se para festejar a vida
A vida, uma festa diária
Necessária
Estilo
Não tem a ver com o clássico
Tem a ver com criatividade
E em qualquer idade
Harmonia na produção
Desenvoltura em personalizar
Montagens arrumadas
Caras despretensiosas
Estar na moda
E só é assim quem ousa
E segue como a idéia da imagem
Como uma miragem
A semelhança de Deus
“Eu Sou”
A significância do ‘ser’
Em detrimento do ‘ter’
Pessoas seguras de si
Relaxadas
Crentes de si mesmas
O resultado
Fica estampado
Não há que se julgar
A ‘normalidade’
Extremamente relativa
E até mesmo subjetiva
O ‘eu sou’ suplanta a indelicadeza
De só se respeitar aquele que informa ‘eu tenho’
Julgamento
Sem fundamento
*
16/03/2010

quinta-feira, 18 de março de 2010

Reflexos

*
Reflexos
Um do outro
Um no outro
Entender-se
Definitivamente
Compreender-se
Compreender a vida
Radiante
Branca
Pura
Transparente
Um contraponto
Solitário
Pesado
Nebuloso
Intimidades
Perguntas
Ousadias
Reflexos
*
07/12/2009

Cartas

*
Antigamente havia cartas
Pois a distância era enorme
Hoje não se desgruda
Não se quer
Não se deseja desgrudar
Talvez
Ou certamente
Porque não se consegue mais a distância
Sim, claro, necessárias são as palavras
Necessário deixar consignado
Em forma de escrita
Ou poemas
Os desejos
Os anseios
As frustrações
Sim, querer deixar gravado o que se sente
Quando se vê
Quando se sente
Quando se sente seguro
Quando se sente os cabelos
Quando se segura pelos ombros
Quando se firma no outro
Intensamente
Definitivamente
Quando se vira o rosto
Quando não para
Mesmo quando tudo acaba
E insiste, persiste, repete, tudo, novamente
Ginástica acrobática
Um sufocar de quase morte
Segurar os pés de Deus
Um mar
Um momento
Um grito
Um socorro
Um quase morrer
Ou morrer de glória
É quase assim
Perto disso
Quase isso
*
10/03/2010

domingo, 14 de março de 2010

Simples e Casual

*
Domingo
Que de tudo distingo
Simples
Casual
Conversas casuais
Coisas usuais
Têm o seu charme
E que tudo desarme
Porque são simples
Ampliemos os canais de comunicação
Aumentemos nossa expressão
Estejamos abertos à imaginação
Novos caminhos
Muitos carinhos
Elementos homogêneos
Harmônicos
Para que o simples
Se faça agradável
Tornar-se estável
Pois o simples
Pode ser brilhante
Caminho da sabedoria
Traçado com maestria
Simples
É o que não é complicado
Que não tem afetação
Que tem espontaneidade
Subterfúgio da casualidade
Deixar correr
De forma fortuita
Gratuita
Ao acaso
Tenhamos sabedoria
Que a nossa vida brilhe
Da forma mais simples possível
Mas sem simplificarmos nada
Aproveitando de forma contundente
De todos os momentos e detalhes
De todo o momento presente
Para que o simples e o casual
Sejam de todo usual
*
14/03/2010

Cinco Sentidos

*
Usemos
Os cinco sentidos
Para não sermos feridos
Usemos
A nosso favor
Percebemos
Melhor o mundo
Ao nosso redor
Integremo-nos
Ao ambiente em que vivemos
Exerçamos
A faculdade de apreciação
Entremos em ação
O que há em torno de nós
Deixemo-nos levar
A música
Evidenciando a acústica
Integrando-se os sons
A audição
A Visão
Detalhes
Integração
O olfato desenvolvido
Perfume
Enleva, encanta
Perceber sabores
Aguçar o paladar
O tato
Calor ou frio
Climatizar
Sentir uma textura
Na ponta dos dedos
Tatear
Ouvir
Audição
Atenção
Ondas sonoras
Captação
Atentar-se à audição
Denota erudição
Olfato
Detecção de cheiros, odores
Identificação ou não, recato
Paladar, percepção de sabores, gostos
A fome aplacar, rematar
Tato, sentir através do toque, apalpar
Prudência, habilidade ao caminhar
Visão, para quem tem olhos de ver
Observar contornos, formas, cores
Amores
Usarmos a imaginação, mas sem ilusão
Todos os sentidos são úteis na caminhada
Receptores especializados
Estímulo
Sentido
Nunca se senti r perdido
Pois, à natureza fundido
Estará completamente provido
Aceitemos
Através dos sentidos
O que a vida nos oferece
Sejamos autênticos
Atentos
Às nossas percepções sensoriais
Assim, teremos mais consciência
Do que há em torno de nós
Usaremos de tudo o que pudermos
Para o nosso bem estar
E poderemos nos gabar
Tudo será evidenciado
Comprovado e demonstrado
Saberemos a nossa verdade
Com autenticidade
*
13/03/2010

Civilizado e Sociável

*
Civilizado
Comportado
Sociável
Agradável
Fim de semana
Com muita gana
Bom clima
Civilizado
Sociável
Agradável
Sentirmo-nos bem
É obrigação
Obrigação de bem viver
E a vida
Melhor tecer
Há pessoas nunca satisfeitas
É tempo de nos sentirmos bem
À vontade
Felizes
No meio em que nos encontramos
E assim se sentirão refeitas
Tempo de quebrarmos o formalismo
Excluirmos o pessimismo
O fim de semana se aponta
E a ordem de maior monta
É prestarmos atenção
No milagre da vida
Que seja bem vivida
Status
Condição
Para ser sociável
É válido
Status
Posição
Para demonstrar civilidade
E também sociabilidade
Não é necessária exibição
Ou tanta exposição
Basta que seja você mesmo
Não ser desagregador
Senão perde-se
Em civilidade
E em sociabilidade
Fio de esperança
Maneira de não se sentir só
Sentir pela vida esperança
Energia harmoniosa
Coisa honrosa
Levanta o astral
Aproxima as pessoas
Permite fluírem sentimentos
Sem encontrar resistência
Ter boa convivência
*
12/03/2010

Intensamente Emocional

*
Flores
Alto relevo
Vestidos
Toalhas de chá
Sutilezas e arroubos
Estilo boneca
Representações de um personagem
Ou de nossa própria vida
Ou de nossa própria história
Características marcantes
Detalhes
Rendas
Laços de fitas
Personalidade amistosa
Receptiva
Uma arte
Arte emocional
Intensamente emocional
*
11/03/2010

É Coisa Demais

*
É coisa demais na cabeça
Mas a gente vai caminhando
É coisa demais por fazer
Mas a gente vai fazendo
É coisa demais pra pensar
Mas a gente vai pensando
E vai pirando
Mas a gente vai caminhando
E o disco vai virando
É coisa boa demais pra viver
E a gente vai vivendo
É coisa demais pra curtir
E a gente vai curtindo
É muita coisa feia pra ver
Mas guardo as que me fazem viver
E não morrer
É coisa demais
Há coisa boa demais
Pra se viver
*
10/03/2010

segunda-feira, 1 de março de 2010

Alento de Outono

*
Chove lá fora
A temperatura cai
Prévia de Outono
Alento de Outono
Um entusiasmo
Um sustento
Tão esperado
Prévia de outono
Prévia de informação
Prévia de inverno
Melhorar as idéias
Refrescar o tempo
Para se conseguir um alento
Um sopro
Um frescor
Um fôlego para tocar a vida
Podemos conduzir simplesmente
Demonstrar o que se sente
Ou executar uma canção
Ao sabor da aragem
Deliciarmos a vida
Com entusiasmo
Com inspiração
Queremos felicidade
O outono nos traz
Novos ares se fazem
Oportunidade
De felicidade
Não há estações definidas
Estações de tristeza
Estações de felicidade
A cada nova estação
Uma nova oportunidade
De sermos felizes
Uma forma diferente de vida
Que se nos apresenta prometida
Ainda não chegou o outono
Mas já me preparo para ele
Eu e a natureza
Que já apresenta mudanças
Cada estação que vem
Uma maneira nova de ‘viajar’
Um novo alento
Alento de outono
Assim também a felicidade
Que não deve ser vista
Como uma estação definida
Um lugar
Onde queremos chegar
Mas uma forma de vida
Uma bela maneira de ‘viajar’
*
01/03/2010

Energia Eletrizante

*
Dia agitado
Energia eletrizante
Energia de que dispomos
Superatividade
Mal dos tempos
Não paro um minuto
Prefiro assim
Atividade intensa
Mantém ativa
Energia eletrizante
Charme
Magnetismo
Mente e corpo ativos
Combustíveis de vida
Encontros
Intensos
Profundos
Fundamentais
Ficamos bem
Tudo fica colorido
Elétrico
Como que por magia
Conduzir a energia
Direcionar a atenção
De forma eletrizante
Energia eletrizante
*
28/02/2010

Promessa de Vida

*
Março ainda não apontou
Mas o tempo já fechou
O outono ainda não entrou
Mas a força das águas já despontou
Já vem março
Minha alegria não disfarço
O tempo urge
A beleza surge
Com as águas
Promessa de vida
Renovação
Comunicação
Importantíssimo na vida
Ressaltando-se a lida
De forma desmedida
Começa o tempo de realizar
Momento de brilhar
Momento de fazer valer
O sucesso individual
Na própria vida
Promessa de vida
Superando expectativa
Buscando plenitude
Mostrando atitude
Realizando
Coisas importantes e úteis
Ascensão geral
Para si próprio
Para os que acompanham
O ruim
Deixado para trás
Pois o mal
Consigo mesmo se compraz
Promessa de vida
Vislumbrada
Sentida
É uma oportunidade
Uma renovação
Agarremo-nos todos
A todas que aparecem
Assim não perderemos
As oportunidades
E felizes seremos
Pois a vida não é apenas
Um suceder de dias
Coloquemos vida
Em cada novo dia
*
26/02/2010

Tom Dramático

*
Relacionamentos
Oposições
Parcerias
Transformações
A vida mudando
Transmutações
Tom dramático
Ar dramático
Imperando
Mais charme do que drama
Mais impressão do que tragédia
Meio termo
Tragédia e comédia
Cores fortes
Tons dramáticos
Se impõem
Vermelhos
Tons dramáticos
Normalmente provocam
Grandes perturbações
Análises
Argumentos
Efetivamente úteis
Suplementos
Personagens da vida
Protagonizando a própria história
Criando a própria arte
O drama pessoal
De cada qual
A própria razão de ser
Do personagem
Representante da presente vida
Não há como prever
Não há como reter
Efeito social
Função vital
Necessária à existência
Tom dramatico
Da própria história
Evitando ilusões
Discurso direto
Toque de afeto
Bem vivendo
Tom dramático
A própria vida
Uma tragédia
Uma comédia
*
27/02/2010