quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Quebra-Cabeça

*
A vida
É o próprio
É um quebra-cabeça
Um jogo de encaixar
Um desvendar
Angariamos informações
Inseridas em nossas vidas
Uma forma interessante
De ser vivida
Muitas vezes
Nem mesmo sabemos
Nem entendemos
Nem acreditamos
Que aquela peça
Vai encaixar-se à outra
Mas encaixa
E mesmo à primeira vista
Extremamente absurda
Na racionalidade exacerbada
Não nos damos bem
O quebra-cabeça
Parece algo dissimulado
Que tenha que se fazer valer
Para ter prazer
Temos a realidade
No meio do caminho
A racionalidade
Necessária
A montagem
O quebra-cabeça
Imperiosa fórmula
Para o bem
Suceder da vida
Racionalidade
Exigências
Com os outros e conosco
A racionalidade
Sozinha
Não faz nada caminhar
Não faz desvendar
A emotividade
Há que se ter
Há que se ter encanto
A dureza da vida
Há que se abrir espaço
O amor
Os problemas
Definitivamente
A melhor solução
Pequenos hábitos
Displicentes
Podem nos adoecer
Podem quebrar o encanto
Um quebra-cabeça
Em forma de coração
Coisa mais real
Nada mais apropriado
Tem hora em que desisto
Tem hora em que teimo e insisto
Tentando montar
O quebra-cabeça
Porque cabeça e coração
Devem andar juntos
Porque a distância
É longa entre um e outro
Mas o encaixe do quebra-cabeça
Só se faz
Quando aniquilada a distância
Entre cabeça e coração
Despendendo o tempo
Percorrendo a distância
O amor é coisa certa
Cuidando da cabeça
Do amor se sente a presença
O coração fica em paz
Acertam-se finalmente
Todas as peças
De um quebra-cabeça
*
24/02/2010