domingo, 7 de fevereiro de 2010

O Avesso

*
O avesso
O lado oposto
O lado que ninguém vê
O que se tem que estar atento
E sem falar muito
Tudo é sabido pelo avesso
O avesso tem que ser vasculhado
A beleza e a intensidade
A integridade e a honestidade
Descobertas ainda mais
E assim, procurando, se percebe
Que o avesso ainda é pouco
Percebe-se a grandiosidade
Como magia
Tanta alquimia
Tanta generosidade
Resta a perplexidade
E aí se quer mais
Com o avesso não se contenta
E se quer mais
O avesso do avesso
A própria alma desnuda
*
01/02/2010

Nenhum comentário: