quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Comemorar

*
Comemorar
Festejar
Viajar
Adoro festa
Adoro viajar
Nada melhor para a mente
Que de tanta rotina
Acaba por ficar descrente
Mas não me rendo
E com a vida aprendo
E não me prendo
A nenhum sentimento ruim
Mais fácil ser feliz assim
E viver é uma vitória diária
Uma luta
Uma batalha
Há que se comemorar
E se esbaldar
Com cada conquista
Com cada coisa
Em que se invista
*
16/07/2010

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Definições

*
Definição de identidade
Definição de estilo
Definições de propósitos a serem vividos
Algumas vezes parece tudo modificado
Mesmo a quem seja ao menos aparentemente muito radical
Definição de estilo
Dedicação apaixonada de autoconhecimento
Querer deixar sua marca no mundo
Mesmo que seja em seu próprio mundo
E quando se consegue
A tal definição de identidade
Qual não seria o espanto
Em ter receio de envolver-se
A ponto de perder sua identidade?
E buscamos antídotos
Para impedir que esse sentimento nos atrapalhe
E buscamos saber exatamente
O que desejamos da vida
Voltamos às definições
E definições são marcos emocionais
Definições são escolhas
Descobertas interessantes
Sobre a gente mesma
Desvendar vantagens próprias
Entender as atitudes pessoais
Desvendar-se
Definir-se
Muitas vezes não chegamos a uma definição
E buscamos o diferente
E a busca do diferente
Nos permite ver outros lados de nós mesmos
Outras possibilidades
E em meio às indefinições momentâneas
Encontramos outras possibilidades
E agregamos definições
Definir-se
É acreditar em si mesmo
*
17/05/2010

domingo, 5 de dezembro de 2010

Aguentamos?!

*
Um dia de muito sol
E não sabemos o que fazer
De tanto que esquenta
Outro dia, muito vento
O organismo não agüenta
Um dia muito trabalho
Outro dia feriado
Se não paramos
Quando nossos limites encontramos
A natureza se impõe
E conosco nos defrontamos
Não agüentamos
Gripamos
E somos forçados a parar
Porque, muito mais do que podemos
Nos esforçamos
E nos colocamos
Muito além do que agüentamos
E então paramos
Forçadamente
Forçosamente
Pois a natureza é inclemente
Rigorosa
Impiedosa
Não sejamos incoerentes
E conosco sejamos complacentes
E entendamos claramente
A força da nossa mente
*
06/09/2010

Apesar de...

*
Apesar de tudo se apagar
Apesar de a moda se esvair
Apesar de por hora sem rumo vagar
Apesar das novas tendências de moda esperar
Apesar de uma nova vida aguardar
Apesar de me exaurir de pensar
Apesar das coisas ruins tentar dissipar
Apesar de pensamentos ruins ainda não conseguir fazer cessar
A vida existe
Não há como negar
É dever caminhar
A moda vem à mente
A criatividade se aflora
É o que salva
Por hora
Sem demora
*
29/09/2010

sábado, 4 de dezembro de 2010

Bom Pra Mim

*
Bom pra mim
É concatenar trabalho com criatividade
Pra vida ficar mais leve
Bom pra mim
É encontrar
Em cada dia
Um jeito novo e melhor de fazer as coisas
Bom pra mim
É encontrar a cor preferida do dia
Vestir-me conforme demanda minha energia
Bom pra mim
É sentir o clima ideal
Céu azul, brisa suave...
Bom pra mim
É tomar um café da manhã com capuccino e croissants
Bom pra mim
É a sensualidade delicadamente demonstrada
Bom pra mim
É roupa confortável
Bom pra mim
É a sofisticação da vida em festa
Bom pra mim
É a nobreza da cordialidade
Bom pra mim
É a casualidade chic do simples
Bom pra mim
É a irreverência da autenticidade
Bom pra mim
É uma atividade física que energiza
Bom pra mim
É uma viagem inspiradora
Bom pra mim
É brindar a vida
Bom pra mim
São encontros especiais
Bom pra mim
Um bistrô...
Bom pra mim
É o contraponto do sabor suave, caseiro, naturalmente saudável
Com o excêntrico, o exótico, o encorpado
Harmonização de vinhos
Bom pra mim
É saber viver em festa
*
05/08/2010

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Agitada

*
Hoje agitada
Não consigo escrever nada
Fico na frente do micro
Parada
A inspiração não vem
As palavras da mente saem
E vão pra cabeça de quem?
Ficaram perdidas no tempo
Foram-se
Nem sei em qual momento
Estou agitada
Com essa vida movimentada
Tem hora ater que fico atrapalhada?
Tem hora
Como agora
Quero escrever sobre moda
Fazer as coisas à minha moda
Mas não dá tempo
E só nesse momento
Parou o tormento
E escrever já ajudou
Já socorreu
Já valeu
E que venha criticar
Apenas quem for ajudar
*
17/08/2010

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Arte de Viajar

*
Gosto de viajar
Minto
Adoro
Gosto de viajar
Em todos os sentidos
Literalmente
De malas em punho
Literariamente
Percorrendo caminhos imaginários
E até inimagináveis
É um estilo rústico
É um colonial
Um clássico
Um moderno...
Cada qual tem sua graça
Seu glamour
Uma abertura de caminhos
De horizontes
Cabeça arejada
Despojamento saudável
Gosto do diferente
Culturas e costumes
Atraem-me sobremaneira
Até mesmo as construções diferentes
Retratando o clima local
O modo de pensar de um povo
Algo interessantíssimo
E seja viajando literalmente
Ou literariamente
Lendo um livro
Escrevendo por aqui
Minha mente divaga
Recria
Produz
Expande-se
Numa rotina saudável
A brisa sopra contínua
Em viagens
Saboreamos ventos diferentes
Encantados com a vida
Encantamos a tudo
E a todos que nos cercam
Buscamos
Nesse encantamento
Qualificar a natureza de nossos sentimentos
Ficamos cheios de assuntos
Ampliamos horizontes
Aumentamos nossa energia
Comunicamo-nos mais
Aprendemos coisas novas
Há diversas formas de viajar
E todas úteis e prazerosas
Viajar é existir
É descobrir
Uma arte
*
04/05/2010

Amor Próprio

*
Amor próprio
É cuidar do corpo
E também da mente
Os dois juntos
Em conjunto
Fazem a alma transcendente
Se cuidar apenas do corpo
E suas roupas
E seus contornos
Desdenhando a influência da mente
Tornar-se-á da vida um descrente
E então o amor próprio faltará
Pois se tornará inimigo de si mesmo
Ter amor-próprio
É se cuidar no todo
É procurar uma bela roupa
Adornar seu belo corpo
Reflexo de sua bela mente
Cuidar da postura
Postura da alma
Postura do corpo
Quando a mente se curva
O corpo acompanha
Hora de atentar-se
Dica boa
Se a postura física estiver ruim
Aprume-se
É um sinal
Amor-próprio fraquejado
Lute por si mesmo
Ame-se demasiado
Faça as pazes consigo mesmo
Faça-se feliz
Vista uma bela roupa
Pense coisas boas
Adorne o corpo
Enfeite a alma
E então
A ‘mágica’ se dá
Seja, para si, boa companhia
Se não aceitar-se a si mesmo
Não aceitará aos outros
Entenda-se no direito de ser feliz
Direito não, obrigação
Ou um direito-dever
Compre você mesmo seu ingresso
De acesso
À felicidade
Aceite sua identidade singular
Respeite-se
Cuide-se
Atente-se a si mesmo
Se cuidar de si
Gostar de si mesmo
Dando-se valor
Não odiará nada nem ninguém
O que importará será o bem
Que se faz a si mesmo
E esse bem
Refletir-se-á além
*
13/08/2010

Escrita na Agitação

*
A agitação me faz escrever
Mas hoje a agitação me deixou cansada
E me sinto chata
Desalentada
E até rio de mim mesma
Pela falta de gentileza
Comigo mesma
A agitação hoje provocada
Pelo excesso de atividade desordenada
Me deixou cansada
E não consegui nem mesmo ficar arrumada
Vesti-me de cinza
Sem cor
Nem frescor
Mas não vou ficar ranzinza
Acho isso chato
Mais chato do que reagir
Confio no porvir
*
31/08/2010

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Sonhos

*
Sonhos bons
Sonhos ruins
Sonhos de vida...
Só quero caminhar
Não quero sonhar
Sonhos
Muitas vezes não ajudam
Antes que se trabalhe
Antes que se levante
Mas estamos com sono!
E sonhamos mal
Imagens nítidas
Assuntos desconexos
Parte da vida
Podemos controlar minimamente
Nada definitivamente
Não gostamos de sonhar
Preferimos descansar
Viver é bom
E sonhar também
Mas com o sonhar
Pode-se não se dar bem
Melhor de tudo é despertar
*
30/05/2010

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Avesso

*
Um avesso
Um oposto
Uma controvérsia
E muitas vezes
Tudo isso
Tudo junto
Faz parte da vida
Uma tensão domina
Uma intolerância
Atitudes
Decisões escolhidas
Podem ser verso
Mas também anverso
Em que se mostra
O elemento principal
Mas não o reverso
Que revela o avesso
Fidelidade à essência
Mudanças podem irritar
Mas também podem facilitar
Basta observar
Revirar a vida
Tomá-la pelo avesso
Em desequilíbrio
Tomar-se em falso
Um salto
Ou um buraco
E tudo gira
E vê-se o avesso
O lado contrário
O oposto
Do que se acreditava
É um cai, levanta
Uma desordem impiedosa
Uns seguem sem pernas
Outros até sem coração
Cada qual segue como pode
Ou até mesmo conforme consegue
Paixão pela vida é justificativa
Desejo de que tudo dê certo
Força para virar pelo avesso
Aumentando-se possibilidades de sucesso
Porque vida é vontade
É força
Mas também é magia
Seria o lado que se entende como certo
Ou o seu avesso
O verdadeiro ser?
Seria o anverso
Ou o reverso
O cunho legítimo?
Onde estaria nossa essência?
*
20/05/2010

sábado, 20 de novembro de 2010

Dinamizar a Vida

*
Dinamizar a vida
Complicado
Render a vida
Presumida
Um abalo
Um feriado
Recolhimento
Meditação
Discernimento
Possibilidades remotas
Ignotas
Pequenos intervalos de tempo
Medir os momentos
Encontrar motivação
Para a produtividade
Numa amizade
Algo que invade
Não há lugar
Para feitos extraordinários
Nem arroubos de empreendimentos
Tempo curto
Tempo de sermos práticos
Uma linguagem rica
Mas concisa
Em tudo que se faça
Dinamizar a vida
Nessa conjuntura
Uma aventura
Uma desventura
Possível empreender
Posto que seja lento
Fácil de entender
Dinamizar a vida
Necessário desenvolver
Criar
Permitir-se experimentar
Diferentes formas de expressão
Manifestação
Com agilidade
Qual um desenho
Uma arte
Mais que funcional
Quase profissional
Dinamizar a vida
Sentir-se plena
Atuante
Da vida amante
Mesmo que não haja tempo
De escolher a melhor roupa
De realizar o melhor negócio
De exercer sua melhor promessa
Respirar profundamente
Agir rapidamente
Cheia de vida
Mover-se livremente
Da forma que conseguir
Elaborar os fatos
Fazer-se tratos
Dinamizar a vida
Sentir com intensidade
Mesmo ciente
De que poderia mais
Mas sem se culpar
Pela impossibilidade
Pela limitação da progressão
*
31/05/2010

Distância

*
Pensamentos distantes
Distância necessária
Por hora
Em muitas horas
Fujo
Fujo de tudo
Fujo de todos
Até de mim
Mesmo até da vida
Melhor assim?!
Talvez
Quem sabe
Talvez um dia eu me perdoe
Um dia eu me entenda
Um dia me desentenda
E vejo uma flor
E outras flores
Que também ameaçam desabrochar
Para o meu desatino
Rio de mim mesma
Rio que desemboca no nada
Vazio
Que é tudo o que restou
Você
A flor
A vida
Estampada no corpo
Nos meus vasos
Em minhas veias
Assim deve ser
Só assim sobrevivo
Nesse tormento
Nesse torpor
Nessa distância
Nessa vida
*
28/07/2010

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Amores Contraditórios

*
Gostar o muito do meu trabalho
Mas tem hora que o que quero é descanso
Gosto muito da liberdade
Mas tem hora que quero é me prender
Gosto muito de roupas confortáveis
Mas tem hora que gosto de roupas justas
Gosto muito de salto alto
Mas ultimamente só uso salto baixo
Gosto muito de colorido
Mas tem hora que quero o neutro
Gosto muito do sofisticado
Mas tem hora que quero o básico
Gosto muito de tudo certo
Mas tem hora que quero é errar
Gosto muito de frio
Mas tem hora que quero calor
Gosto muito do abstrato
Mas tem hora que quero o que houver de mais concreto
Gosto muito do diferente
Mas tem hora que quero o comum
Gosto muito de me identificar com as coisas
Mas tem hora que quero parecer invisível
Gosto muito de definir com clareza o que sinto e o que quero
Mas tem hora que não quero nem sentir nem querer nada
Gosto muito da rotina
Mas tem hora que a rotina me cansa demasiadamente
Gosto muito de ter alguém que me sirva de mestre
Mas tem hora que quero é ensinar tudo o que sei
Gosto muito de viver intensamente
Mas tem hora que quero é meditar
Gosto muito das coisas como estão
Mas tem muita hora que quero mudar tudo
Gosto muito de tudo no lugar
Mas tem hora que quero virar tudo de cabeça pra baixo
Gosto muito de arrumar
Mas tem hora que quero é revirar, desarrumar
Gosto muito de amor
Mas tem hora que quero o amor de trás pra frente, e vou pra Roma
Gosto muito de coisa trabalhada
Mas tem hora que quero coisa ganhada
Gosto muito do trabalho
Mas tem hora que quero dado
E sei que o contrário do contrário é o certo
E que quem nega duas vezes está afirmando
Esses os muitos dos meus amores contraditórios
*
18/05/2010

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Acordei

*
Me reanimei
Acordei
Num ânimo
Pra fazer a vida render
Sem me tolher
Acordei
As circunstâncias ajudaram
Favoreceram
Independentemente das escolhas
Pela ordem natural das coisas
Que me propiciaram o ímpeto
De reagir
E me suprir
Em minha própria vida
Mesmo desmedida
Tomar iniciativa
Até bem criativa
Para prosseguir
Para conseguir
Fazer valer meus atos
E organizar os fatos
Acordei
Acordei disposta
A refinar a arte
De viver a vida
Sem que me descarte
Acordei
Acordar é uma arte
Que se trabalha
E que se espalha
Exaustivamente
A cada dia
A arte de se despertar
A si mesmo acordar
E não me deixei
Acordei
*
21/07/2010

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Brisa ou Programação

*
Do que precisamos?
O que queremos?
Pensamos...
Deixamos a brisa nos levar
Ou buscamos intensa programação?
Deixar a brisa nos levar
Um feito
Uma entrega
Uma trégua
Um descanso...
Aproveitar o descanso
Ou aproveitar o lazer?
Qual modalidade nos descansa mais?
Qual modalidade nos atende melhor?
Repouso corporal
Ou repouso mental?
O modo como aproveitamos o lazer
Fundamental para o descanso mental
Prioridades...
A maioria das pessoas
Nas cidades
Cansam mais as mentes
Com seus trabalhos intelectuais
O ideal
Uma programação em brisa
Um bom aproveitamento do lazer...
Olhar em volta
Sentir
Ouvir
Interagir
Perceber o que se passa
Olhar para os lados
Olhar para os outros
Olhar para si
Evoluir
Encontrar a paz
Na brisa
Ou na programação
Bom na meditação
E assim teremos mais consciência
E assim elevaremos nossos pensamentos
Somos assim
Em transparência
Na brisa
Ou na programação
Suaves como a brisa
Fortes como a ventania
Depende de quando se vê
Depende de como se vê
*
16/05/2010

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Até Mais Tarde

*
Festejando a vida até mais tarde
Dormindo até mais tarde
Escrevendo mais tarde
A gente fica lenta
Mas a gente tenta
Modificar
Mas acordar tarde
Para quem não tem costume
É coisa esquisita
Parece que limita
O dia fica menor
A gente não se atenta
A nenhum pormenor
Mas hoje é domingo
Primeiro dia da semana
Dia consagrado ao descanso
Tudo fica manso
Devagar
E tudo nos diz:
Até mais tarde!
Nada é para agora
Sensação estranha
Para o tempo, uma barganha
Não gosto
Quero acordar
Ativar
Reanimar
Com tudo lento
Um desalento
Com essa sensação
De ‘até mais tarde’
Parece que a gente é covarde
Que a tudo retarde
Mas hoje amanheci assim
Vou tentar acordar
O que para uns pode ser bom
Para outros é maldade
O que para uns é chuva fina
Para outros, tempestade
Prefiro estar triunfante
Radiante
Esse sono preguiçoso
É comigo dissonante
Voltarei fulgurante
Até mais tarde
*
04/07/2010

Arrastão

*
A vida
Um arrastão
Levando tudo
Tudo o que vê pela frente
Sem querer saber de nada
Sem querer saber da gente
De nada do que a gente sente
Sem se importar
Se a gente está dando conta
Ou se a gente é dissidente
Dessa coisa louca
Incoerente
Que de forma insistente
Nos faz ir pra frente
Quando o corpo se arrasta
A gente se esforça
A mente mais que o corpo é poderosa
Mas quando a mente é que se arrasta
Problema maior se instala
Porque o corpo é fraco
E não subjuga a mente
Quando a mente não comanda
A vida segue em arrastão
Esforço violento
Vira um tormento
E nos faz mal esse arrastão
É ruim a lamentação
Nesse turbilhão
A gente não vê razão
Para idéias de redenção
Mas de soslaio
E em teimosia
Há a dose de esperança
De viver em alegria
O futuro será melhor que o presente
Um dia a gente vai dar conta da gente
O arrastão é motivo de reflexão
Embora nos deixe em lentidão
Desvendando o arrastão
Uma consolação
Resume-se a intenção
Do descobrimento
Do mistério
Desse arrastão
Nessa vastidão
Que envolve a multidão
A linguagem
A religião
O arrastão e seus enigmas
Mas terá os seus motivos
E esse turbilhão
Haverá de ter explicação
*
23/07/2010

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Afeição Recíproca

*
Todo dia
É dia do amigo
Um lugar
Um aconchego
Onde se encontra abrigo
Aquele com o qual se tem
Independentemente se convém
Afeição recíproca
Amigo é companheiro
Aquele que acompanha
Que se gosta de verdade
Amigo é um artista
Que exerce o ofício da afeição
Com gosto
Que refina sua arte
Arte de afeto
Que se tem por perto
Amigo é o que está com a gente
Quando se precisa efetivamente
E, quando não, apenas por afeição
Por motivo fútil
Ou quando há requinte
Amigo é ouvinte
E também contribuinte
Afeição recíproca
Convívio
Com satisfação íntima
Um contato
Um convívio
Um olhar
E se entende
E interage
Afeição recíproca
É doçura
É sentimento mágico
Inexplicável
Quase insuportável
De tão bom
*
20/07/2010

Acúmulos

*
Acumulamos muitas coisas na vida
Acumulamos honrarias
Vitórias
Roupas
Forças
Fraquezas
Acúmulos necessitam arrumação
E há de haver tempo
Acumulamos coisas feitas
Acumulamos coisas por fazer
Acumulamos belezas
Mas também tristezas
A bagagem de cada um
Quando sem tempo para nós mesmos
O acúmulo
A bagagem torna-se exagerada
Dar andamento à vida
Muita coisa a organizar
Acumulamos informações de tarefas
E de afazeres
Que não nos saem da mente
Acumulamos flashes de fotos
Que nos fazem recordar
Momentos vividos
Tempos idos
Que não sejam em vão os acúmulos
Nem mesmo um catastrófico desperdício
Que sejamos imunes às negatividades
Pois o negativo se impõe
Por ser o positivo suave
Que a vida não seja apenas
Um acúmulo de coisas acidentais
Ou de casualidades
Façamos a nossa parte
*
04/09/2010

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Nervos Exaltados

*
Nervos exaltados
Dormir pouco
Ou dormir mal
Nervos normalmente não irritáveis
Tornam-se, por vezes, irritados
Mesmo que se seja paciente
Quando com nervos exaltados
Tornam-se sarcásticos
Tornam-se irritados
Revestem-se de ironia mordaz
Quando nervosos
Não são piedosos
Mesmo não sendo ruidosos
Mesmo sem provocação
Como algo cravado no centro da espinha
Sem distúrbio hormonal
Trata-se de ser racional
Mas com respeito
Um preceito
E para melhorar
Pensar
Vislumbrar
Uma oportunidade
Para saber
E entender
Como é que nasce a arte do prazer?
Sentir prazer é uma arte
Uma arte a ser desenvolvida
Se lhe fora tolhida
Curar o nervosismo com prazer
Melhorar-se é compromisso
Entrar em contato com sentimentos
Melhora
Retempera
Fortifica
Revigora
Encontrar a linguagem certa
Cruzar sentimentos
Dar vazão ao nervosismo é a morte
Sentimento ruim
De cessação definitiva de vida
Nada merece tanto
O que fazer?
Querer, escolher, fazer festa pra vida
Pois a morte nada melhora
*
06/07/2010

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Absolutório

*
Absolutório
Adjetivo que encanta
Que liberta
Que absolve
Que se dispõe em soltura
E tão saudável é
Quando absolvemos os outros
Quando absolvemos a nós mesmos
De amarras a que nos propomos
O absolutório
Não é obrigatório
Até que se descubra que se pode soltar
Muitas vezes nós mesmos nos prendemos
Ao que não gostamos
Ao que a princípio não nos faz bem
Por comodismo
Não acomodar-se
Absolver-se
Livrar-se
Do que não faz bem
Ou do que não mais seja útil
Exercitar o desapego
Fazer a energia fluir
Um guarda-roupas com peças que não se usa
Uma mente com pensamentos inúteis
São deveras prejudiciais
Energia estagnada
Água parada
É sempre negativo
Criatório de coisas ruins
Permitir-se o absolutório
Eximir-se de culpa
E tornar-se sadio
Cuidar-se
Lutar por si
Libertar-se de amarras
Controlar a própria situação
Almejar um resultado
Absolutório
*
02/08/2010

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Abandono de Mim

*
Parei pra tentar escrever
Pra ver se consigo me mover
Vontade de me deixar em abandono
De me entregar ao monótono
Necessito abandonar-me um pouco
Suspender sensibilidades
E também atividades
Diminuir as vontades
As próprias
E também as alheias
Precisando abandonar-me
Entregar-me às minhas próprias necessidades
Viver das simplicidades
Precisando abandonar-me
Entregar-me ao sono
Para descansar-me
E voltar a sorrir do nada
Tal qual criança
Vontade de aderir à moda pijama
E me deixar de cama
Sem achar-me insana
Ou desumana
*
09/09/2010

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Volátil

*
Formas de ver
E de viver
Inúmeras
Diversas
Inconstantes
Até mesmo
Num mesmo ser
Um dia mais atual
Outro dia mais tradicional
Cada qual
Com sua capacidade de voar
Volatilidade é um dom
Nem todos possuem a mesma condição
A capacidade de voar
É para algumas mentes
Poucos se permitem
Poucos gostam de voar
Mas há horizontes
Que só são vistos
Através de um vôo
O céu
É o mesmo para todos
Mas nem todos
Têm a mesma visão do mesmo
Sim, ser volúvel é ser inconstante
Mas quem suporta a constância da mesmice a todo instante?
Gosto do volátil
Do que voa
Dos ‘volantes’
Dos babados esvoaçantes
Condição da volatilidade
Uma relação de pressões
Como tudo na vida
Como a busca de um equilíbrio
Um processo de purificação contínua
E assim sigo
Com a mente
Com a capacidade de voar
Volátil
Que se move facilmente
Versátil
Buscando novos horizontes
Ou novas formas de ver o mesmo
*
26/07/2010

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Sono

*
Com sono a gente não pensa
E se forçar estressa
E é segunda-feira
Devemos fazer tudo depressa
E a cabeça não acompanha
Fica estranha
Muito sono
É um desconsolo
Atividades ficam suspensas
Parece que a sensibilidade acompanha
E fazemos campanha
Para o trabalho executar
Mas nada conseguimos
Nem mesmo escutar
A voz na nossa cabeça
Que fica sem destreza
Numa moleza
Eu gosto da consciência
Que pra cabeça dá leveza
*
30/08/2010

domingo, 29 de agosto de 2010

Esse Dia

*
Dia de sol e vento
E que em algum momento
Saio do centro
Fico dispersa
Numa ordem reversa
Sinto-me perversa
Não me deixo controversa
Aponto para o positivo
Algo intuitivo
Nunca destrutivo
Esse dia é assim
Bom pra mim
*
29/08/2010

sábado, 3 de julho de 2010

Enlevo

*
Hoje em um enlevo
Era dia de poesia
Em um torpor
Em magia
Na verdade
Um dia em poesia
Algo que dignifica
Posto que inebria
Uma noite bem dormida
Uma alma em poesia
E então
O frescor contagia
A mente desanuvia
*
01/07/2010

domingo, 27 de junho de 2010

Afinidade Estética

*
Afinidades
Questões estéticas
Aproximam pessoas
Como loas
As que não primam pela vestimenta
Não usam essa ferramenta
Parecem descaracterizadas
Descontinuadas
As que se esmeram demasiado
Algo exagerado
Parecem fantasiadas
Duas categorias
Dividem as pessoas no verão
As bronzeadas
E as pálidas
Como se dividissem
As que são vencedoras de nascimento
Que não possuíssem tormento
E as que precisam trabalhar
E se dedicar
Afinidades estéticas
Intenções poéticas
Tratamento do belo
Algo singelo
Circundam o luxo
E também o glamour
Mercado da indústria
E seu poder
E realmente por influência
Usam de decência
Mas moldam-se
Têm a força de mudar um mundo
Impor tendências
Indiscutíveis
Essas influências
Interferem nos comportamentos
Nas mentes das pessoas
Em seus corações
Aos montões
Afinidade estética
Avaliação superficial
Há que se peneirar
Com o que se identificar
Porque o poder
Não negocia com ninguém
Senão consigo mesmo
Cada qual deve identificar
O que lhe cai melhor
E diferenciar
Do que é pior
Com o que se simpatiza
Ou se identifica
Aceitar tudo
Não é opção
Ideal
É ter emoção
A possibilidade
E até mesmo a obrigatoriedade
Da arte e do comércio
Caminharem juntos
Quando há realmente encontrada
A afinidade estética
O estilo pessoal
Ganha-se leveza
E também destreza
E se vê em graça
E vê-se encontrada
A afinidade estética
O oferecido pela indústria
E dentre os oferecimentos
A sua identidade
As idéias que nos são apresentadas
E com as quais nos identificamos
Nada mais são
Que idéias próprias
Remodeladas
Travestidas
Aí então sentimos
Afinidade estética
Através da idéia
Aquela que nos agrada
É nossa
Como verdade própria
Em conformidade
Com o pensamento nu
Muitas vezes não concreto
Sem vestimenta
Materializa-se
Em afinidade estética
*
14/05/2010

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Ousadia

*
Ousadia
Uma verdade
Para sobreviver
Ousadia
Por natureza
Uma destreza
Esmerar-se
Na sutileza
Necessidade
Da praticidade
Da harmonia
Mesmo na ousadia
Frente e verso
Algo diverso
Ousadia intrínseca
Na veia
Algo genético
Ou neurológico
Acreditar em si mesmo
Sustentar-se num visual
Retrata personalidade
Peculiaridade
Transmite confiança em si mesmo
Ousar sair do comum
Liberdade de se expressar
Combinações para chocar
Ousadia
A combinação
Combina com a pessoa
Tudo é coisa boa
Não causa tanta estranheza
Tudo é pureza
Sem exagero
Sem desespero
Fugir do comum
Não há perigo algum
Numa ousadia
Ninguém é igual a ninguém
Cada um faz o que lhe convém
O que se faz na vida
E com a vida que se leva
Expressar-se tal qual se é
Ousadia
Julgamento estarrecedor
Nada indicador
Das vestimentas
Quais evidências
Referências
Coleciona em sua vida
A hipocrisia
De uma massa não pensante
Não imune a críticas
Não devemos nos anular
Em função da massa inculta
Que só dificulta
Qualquer consulta
Normalmente os que criticam
São os que se anulam
E não possuem a coragem
Nem a ousadia
De serem eles mesmos
Faça da sua mente uma oficina
Trabalhe em favor de si mesmo
Ouse ser você mesmo
Ouse fazer
E ser o que gosta
Na verdade
Todos querem ser cool
Incremente sua arte
Incremente sua vida
Viver é uma arte
A maior de todas
Uma ousadia
*
18/03/2010

Semelhanças em Negro

*
Essa semana
Percebi
E tudo revi
Interessante semelhança
No meu modo de vestir
Algo que se repetiu
E repercutiu
Em todos os dias úteis
Normalmente não ocorre
Pois a cor me socorre
Assemelhar-se a opostos é útil
Nada tem de fútil
Teor de pensamento
Em cada momento
Repetido
Ao longo dos dias
Sabedorias
Normalmente o que nos vestimos
Tem a ver com nosso humor
E em vigor
Segue nossa aparência
Sem displicência
Em conformidade com nosso íntimo
Intrínseco
A constância em negro
Não faz muito meu estilo
Não é do meu feitio
Mas essa semana
Em cor preta soberana
Segui em negro
Coisa rara de se ver
Não conseguiria prever
Mas o negro
Não me afetou negativamente
Vigiei-me continuamente
Refletiu
Meu estado de ânimo
Com poucas cores
Os meus amores
Criando focos opostos de atenção
Não escolhidos de antemão
Não refleti as alegrias
Nem mesmo os encantos
Que tanto me aprazem
E me satisfazem
Semelhanças em negro
Não me apagaram
E ainda me fortaleceram
Creio que eu precisava
E com isso contava
Desse tempo em negro
A semelhança em negro
Processando um segredo
Alterou a lógica
Com que me conduzo
A auto-expressão criativa
Que busco a cada dia
Essa semana ao negro
Que se assemelhou
E se diferenciou
A semelhança em negro
Favorecimento
A concentração necessária
Para o amadurecimento
De questões prementes
Presentes
*
30/04/2010

Sedução

*
Seduzir
Pode não ser desencaminhar
Seduzir
Pode ser encantar
E quem não busca atrair atenções?!
Quem não tem suas pretensões?
Escolhemos pela manhã
Uma roupa para vestir
Conforme queremos investir
A fim de seduzirmos
A nós mesmos encantarmos
Em primeiro lugar
Com a vida vibrar
Criar
Aprendemos desde crianças
Que temos que ser sedutores
Encantadores
Que temos que aprender a seduzir
Sem ao erro induzir
Para que sejamos aceitos
Sermos perfeitos
Agradáveis
Estáveis
Conseqüentemente agradados
Mimados
Gastamos bom tempo
Seduzindo
Possuindo
Como que numa sofisticação
Em concentração
Do que aprendemos quando crianças
Revendo nossas lembranças
Ao longo da vida
Vamos nos descobrindo
E sofisticando
O modo de fascinação
E a sedução produzida
Na forma em que vemos
Como seríamos agradáveis
Desejáveis
Sedução
Forma de sermos apreciados
Até mesmo por nós mesmos
Diante de nossos princípios
No que quer que seja
Forma de nos encantarmos pela vida
Valorizarmos a lida
A sedução deve ser cuidada
Estudada
Quanto a não tornar-se vulgar
Mas ser auxiliar
Diante da carência das pessoas
Ser agradável demais
Gera interpretações diversas
Deixa as pessoas dispersas
Da informação que queremos ofertar
Possibilitando a indução ao erro
Um desacerto
Através do artifício do encanto
Em cada recanto
Até mesmo olhar nos olhos
Pode ser interpretado
Como sinal de sedução
Uma perversão
Seduzir
Não é necessariamente ultrapassar
Limites do exibicionismo
Um modismo
Ter encantamento por si mesmo
Saudável
Estável
Autofascínio
Não se descansar de si mesmo
Preocupação em ser interessante
Às vezes extravagante
E a mídia não ajuda
E não muda
Não dá importância
Gente normal
Insignificância
Demonstrando claramente
De forma contente
As pessoas buscam
Por todos os meios
Sem receios
Exercitar-se
Mostrar-se
Pessoas normais
Todas iguais
Acima dos padrões
Seduções
Encanto pela vida
A todo instante
Permitida
*
14/04/2010

domingo, 30 de maio de 2010

Motores

*
Cada um
Um motor que o impulsiona
Cada um
Algo que o estimula
Cada um
Revela-se de uma forma
Cada um
Um lado mais profundo
Cada um
Uma personalidade
Cada um
Uma individualidade
Cada um
Impulsionado
Estimulado
Por motores externos
Por motores impressos
Sem que se questione
Se é bom para si
Alguns preferem o ostracismo
Sem idealismo
Sem alcançar o mundo emocional
Trancados
Sem sentimentos
Entendem-se seguros
Inventam para sobreviver
Não gostam de conviver
Aridez sentimental
Outros tantos são expansivos
Expõem-se demasiadamente
Excessivamente
Cada um
Adere a um tipo de engrenagem
Cada um
Tem a sua linguagem
Motores de cada um
Fornecedores de intensidade
Tudo pode ser impulso
Cabe a cada um dosar
Todos temos deficiências
Todos devemos domesticá-las
Motores externos
São nossos auxiliares
Os condutores
Somos nós mesmos
Na voz da própria natureza
Motores internos
Nossos princípios
A voz da sociedade
Motores externos
*
05/04/2010

sábado, 29 de maio de 2010

Liberdade

*
Hoje é feriado
Hoje é dia de Tiradentes
Mineiro revolucionário
Hoje é dia de se comemorar
Um ideal libertário
Mineiros
Somos assim
Cavamos o ouro
A cada dia
Lutamos pela liberdade
Pela igualdade
E pela fraternidade
Liberdade de expressão
Como os inconfidentes
Como conspiradores
Ainda hoje
Expressar-se livremente
Mesmo que não seja impunemente
Coragem
Para viver a liberdade
Coragem
De se expressar
E lutar
Pelos seus interesses
Como os inconfidentes
Como Tiradentes
Revolucionar
Revolver
Convulsionar
Política de exploração
Geradora de insatisfação
Hoje é dia de comemoração
De perdermos o medo de lutar
De pela vida vibrar
Pelos nossos interesses
Sim, custa caro
Aqui já declaro
Como custou a Tiradentes
E outros influentes
Mas vale à pena lutarmos
Por nossos ideais
Observar os sinais
Senão viveremos apagados
Como que esmagados
Apenas absorvendo os restos
Daquilo que não acreditamos
E ainda demonstrando estar bem
A liberdade é diferente
É um presente
A liberdade vem da luta
Da força
Da determinação
Sim, tem seu preço
Tudo na vida tem seu preço
Paguemos pelo que acreditamos
Sendo honestos ao que pensamos
Liberdade de pensar
Liberdade de se expressar
Liberdade de se vestir
Liberdade de se sentir
A liberdade conquista quem tem coragem
Hoje, homenagem à coragem
E para ter coragem
É preciso deixar
De se preocupar
Com a impressão que causa
E dar mais valor
À verdadeira causa
Em que se acredita na vida
Coragem
Para exercer a liberdade
Com dignidade
*
21/04/2010

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Já Me Cansei

*
Já me cansei da semana
Já me esqueci de que hoje é quinta
O que?
Hoje é terça?
Ainda?
Mas eu já me cansei
Já trabalhei
Não descansei
Já me cansei
Nessa vida
Tem hora em que fico perdida
Já sonhei
Já insisti
Já me magoei
Já desisti
Já vivi
Já sobrevivi
Muitas vezes
E quantas
Já me cansei
Quero sumir
Desaparecer
Ausentar-me
Perder-me
E consumir-me de vida
Sozinha
Sem ninguém
Pra eu me encontrar
Só não consigo deixar de amar
E de certas pessoas
Não deixamos nunca
De nos atar
Pois sempre teremos que tutelar
Teremos
Mas por amor
Eis o grande sabor
A que nunca irei me opor
A verdade
É que sempre lutarei
Mas já me cansei
Pronto
Falei
Exorcizei
*
27/04/2010

Incoerências

*
Coerências
Incoerências
Divergências
Como agir
O que fazer
Fazer o que se quer
Da forma como se quer
Independentemente do outro
As pessoas fazem o que querem
E muitas vezes as seguimos
O modo de agir
Sem definr
Nossos próprios interesses
Quem são esses?
Não por personalidade fraca
Por incoerência pessoal
Mas o normal
Pela minimização de atritos
Dos pensamentos distintos
Que possam advir
Sem punir
As situações práticas
Divergências de opiniões
Aparecem como grilhões
Gosto da coerência
Tenho complacência
Mas muitas vezes agimos
Conforme a incoerência dos outros
E não são poucos
Prefiro ater-me às alegrias
E o faço em demasia
Essenciais
Universais
Coisas simples
Sem melindres
Que possam incorporar-se
Ao meu dia a dia
E me trazem satisfação
Verdadeira realização
Mas a incoerência alheia
Incomoda
Provoca
Atrapalha
Nesse propósito de bem viver
Nos tira o prazer
Necessidade premente
De ser veemente
De firmeza mental
Fundamental
Posicionamento
Um fortalecimento
Nas incoerências próprias
Que se transformam
Em coerências pessoais
A coerência mantém
As coisas quietas e calmas
Mas de vez em quando
Necessitamos de arrebatamentos
Comprometimentos
E de incoerências
Por vezes
Esses eventos
Nos fazem crescer
E melhor ver
Enxergar além do óbvio
Muita coisa assim
Nem é de todo ruim
Tem sua beleza
Porque mexe em nossas profundezas
Embora eu goste das rotinas
Às vezes só vejo neblinas
E são as incoerências
Que me arrebatam
Me dominam
E me desarmam
*
22/04/2010

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Iluminação

*
O dia está claro
Iluminado
Sábado
O céu promete
Com nada compete
Energia eletrizante
Estonteante
Mil coisas a fazer
Mas voltadas ao lazer
Um prazer
Comunicação em expansão
Iluminação
Isso dá charme
E bom humor
Muito sabor
Encontros profundos
Do bem oriundos
Coragem para enfrentar
De frente encarar
Compromissos que daí surgirem
Aceitar encargos que despontarem
Iluminar
Clarear
Desestressar
Viver
E não apenas sobreviver
Iluminemos nossa vida
Mudemos o humor e o clima
Valorizemos a luz natural
Na arquitetura
Reflexo matinal
Gosto de grandes janelas
Favorecem expandir a luz
Algo bom que se deduz
Possibilidades
A vida oferece
Imensas
Intensas
Em formas
Sem normas
Em cores
Amores
Em intensidades
Frugalidades
Cada coisa cumpre o seu papel
Cada coisa de forma diferente
Diligentemente
Facetas da vida
Adequação múltipla
Como na arquitetura
Luzes mais pontuais
Outras mais difusas
Mas todas puras
Luzes intimistas
Para os idealistas
Agradáveis
Acolhedoras
Brincamos com a imaginação
Com satisfação
A criatividade
O lúdico
Globos iluminados
Levam-nos a viajar
Qual crianças
Deixamo-nos levar
Olhemos o mundo mais atentamente
Sem sermos displicentes
Entremos no clima que nos fizer melhores
Deixemos a imaginação voar
Cuidemos da iluminação
Com devoção
*
27/03/2010

Esvoaçando

*
O dia começa agitado
Esvoaçado
Desvairado
A mente se perde
Nada diz nada
E já fico cansada
É tanta coisa
Nada repousa
Tanta informação
Que chega de montão
Sem nem mesmo dar tempo de nada
De se pensar se tem ou não disposição
Que vira um ‘dizer nada’
Fica tudo esvoaçado
Descontrolado
Vontade mesmo
Que comece o fim de semana
Pra descansar a cabeça
E o que de ruim se esqueça
Será possível?
Não vislumbro isso
Não é algo palpável
O esvoaçado é abominável
Mas vou projetar
O que eu queria mesmo?
Roupa esvoaçando
Vento soprando
Ares de outono
Onde encontrar?
No mar?
Por aqui não há!
Pensamentos
Vão-se com os ventos
Esvoaçam quando se atrapalham
Assim como os cabelos ao vento
Que se emaranham
Que se embaraçam
Meu pensamento se agita
A mente grita
Tende a esvoaçar
A querer um vôo alçar
Porque se sente presa
E quer se soltar
Elevar-se em vôo
E no vôo eu me centro
Um perfil singular
Quanto mais esvoaçante
Quanto mais distante
Em vôo
Sem destoar
Parecemos menores
Diante daqueles
Cuja compreensão não nos acompanha
É uma façanha
Não nos alcançam
Vêem-nos à distância
Pequenos aos seus olhos
Não me importo
Eu quero é voar
*
23/04/2010

domingo, 23 de maio de 2010

Prazer

*
Prazer é coisa engraçada e relativa
Tem gente que só pensa no prazer próprio
Tem gente que só pensa no prazer dos outros
Tem gente que só tem prazer em chatear dos outros
Tem gente que tem prazer em juntar dinheiro
Tem gente que tem prazer em gastar dinheiro
Todos os prazeres são particulares
E particularmente bons
Mas se o contentamento for muito particularizado
Não será realmente um prazer expansivamente bom
*
19/04/2010

Paixão e Intelecto

*
Paixão é uma cegueira
Algo insensato
Um caso pensado
Vindo do intelecto
Racionalismo completo
E concreto
Não arrebata
Como dormir a noite inteira
Proeza pra quem é agitado
Mantem-se aceso
Ligado na tomada
Sentidos atentos
Por todo o tempo
Típico de quem não gosta de surpresas
Típico de quem não quer ser assaltado em suas fragilidades
Uma pessoa defendida
Não desprendida
Controladora
Muitas vezes arrebatadora
Normalmente não dorme a noite inteira
Fica numa canseira
Acorda no meio da noite
Como que por um açoite
Pensa na vida
Pensa em textos
Trabalha mentalmente
Loucura
Viver com o intelecto ativado
Para de assalto não ser tomado
Paixão é algo arrebatador
Paixão é do reino da loucura
Reverte a tomada do intelecto
Paixão pela vida
O que descansa
É o que arrebata
E arremata
Tristezas não imobilizam
E não depende de coragem
Ou de fortaleza
É temperamento mesmo
As coisas que amolam
São sem valor
E aí elas se vão
Por si
Pelo mesmo caminho em que vieram
Entusiasmo indelével
Paixão e intelecto
Invencíveis quando aliados
Seja pela paixão
Ou pelo intelecto
A procura é sempre a mesma:
A comunicação
Amor
Literatura
Coincidências
Procura apaixonada
Desesperada
*
18/04/2010

Olhar Perdido

*
Olhar perdido
No fundo do pensamento
Chegando o fim
O fim da quaresma
Tempo de pensar
Pensar em pontos harmônicos
Pensar em contaminar o ambiente
Através do bem estar
Do bem viver
Olhar perdido
Encontrando-se dentro de si
Exercício
Para que não haja moléstia de humor
Revisitando
Nós mesmos
Nossos sonhos de sucesso
Contato necessário
Saudável
Confiança no futuro
Confiança na gente mesmo
Quaresma
Tempo litúrgico de conversão
Olhar perdido internamente
Transformação
Transmutação
Aperfeiçoamento
Compatibilizar conceitos
Ser coerente consigo mesmo
Não permitir que a incoerência torne-se uma categoria lógica
Olhar perdido nos sentimentos
Para encontrarmo-nos mais íntegros
Olhar perdido internamente
Ao olharmos para fora de nós
Verdadeira importância das coisas
O verdadeiro lugar de cada uma delas
*
31/03/2010

O Tempo Virou

*
O tempo virou
Na semana que passou
Esfriou
A nova estação, enfim, chegou
Instabilizou
Ainda não se firmou
Mas o calor intenso acabou
Os ventos mudam
A direção das coisas se alteram
Viram páginas
Põem as coisas do avesso
Mostram um novo começo
O tempo virou
Mas a gente se esforçou
Volveu
Bebeu
Mas entornou
Contornou
O tempo virou
Mas, na verdade, tudo ficou
Tudo continuou
Porque o amor pela vida
Uma coisa atrevida
Nunca se findou
O tempo virou
Mas tudo continuou
Aguardar os tempos
De nada adiantou
A revolução do tempo
Por um momento
Mais uma vez se faz
Mais uma vez audaz
Coloca-se em marcha
Não ficamos em baixa
Faz-nos perceber
Sem retroceder
Que somos o futuro
A revolução que se faz
O tempo?
Virou
Revolucionou
*
11/04/2010

sábado, 22 de maio de 2010

Estilo Incisivo

*
Imagem incisiva
Altiva
Estilo incisivo
Sem ser nocivo
Sei disso
A forma simples
Não passa desapercebida
Não sei se é um jeito agitado
Ou um jeito transparente
Incisivo?!
Falar de forma incisiva
Muitas vezes até mordaz
As verdades cortam
Dilaceram
A quem não esteja preparado para ouvi-las
O estilo incisivo
Agride
A quem não esteja aberto a mudanças
O incisivo é eficaz
Que faz efeito de pronto
Droga de efeito incisivo
É a mais eficaz
E muitas vezes precisamos
E só assim alcançamos
Ou tentarmos alcançar
O resultado necessário
E somos interpretados
Como acres
Pungentes
Como que com ironia
Até mesmo cruel
Mas o incisivo
É penetrante
Intenso
Perspicaz
Como que uma irradiação
Que se propaga
Estilo incisivo
Boa forma de comunicação
Direta
Eficaz
*
13/04/2010

Dia Nervoso

*
Segunda-feira
Dia nervoso
Mas eu me esforço
Para sempre amansá-lo
Um consolo?
Segunda-feira
Segundo dia da semana
Mas é um dia nervoso
Dia em que se pensa ser a única pessoa no mundo
Dia em que as pessoas não riem muito
Por melhor que seja a história do fim de semana
A preguiça é soberana
Dia de dar duro
Dia em que as pessoas pensam no futuro
Qual seria a parte reservada para si?
Por ser um dia nervoso
É um dia preguiçoso
Um dia que se arrasta
O bom humor se afasta
Para salvar isso
Somente sendo presunçoso
Altivo
Pretensioso
E assim
Salva-se um dia nervoso
*
26/04/2010

Depurando o Pensamento

*
Depurar algo
Tentar torná-lo puro
Tento depurar meu pensamento
E nesse intento
Estive pensando
E comungando
Com gente que fala pouco
Mas diz uma imensidão
Sem turbilhão
Falas são carregadas
De sentimentos tomadas
Falam o que lhes vêem da alma
Com tranquilidade e calma
E como essas pessoas falam pouco
A alma é pensativa
Reflexiva
Não explosiva
Depuram o pensamento
Com mais facilidade
E sou do tipo que busca
Sabedorias alheias
Para meu burilamento
Faço meus apontamentos
Mas apesar de admirar
Quem fala pouco
E com imensidão
Falo muito
Pois na minha vida
Não sei fazer resumo
Mas sei fazer esquemas
E diagramo os problemas
Sempre estudei assim
E falando assim
E aqui
Depuro meus pensamentos
Tenho manias
Fobias
Que me prejudicam
Que danificam
E são difíceis
Responsabilidades intransferíveis
De obrigações que não são minhas
De deveres que eu não tinha
Adquiro amarras emocionais
Que não deveriam
Ao menos a princípio
Ancorar-se em mim
Sobrecarrego-me
Por aqui, pois, me vêem
Por aqui depuro meus pensamentos
Por aqui escrevo
Meu livro diário
Recheado de imaginações
Por aqui permito
Como um mito
Ser traduzida
Facilmente ou não
Através de minhas peripécias
E vicissitudes cotidianas
Um livro
Ser escritor
Decifrado pela imaginação
A mente em viagem
Depurando o pensamento
*
28/04/2010

Conquistei

*
Hoje
Conquistei a mim mesma
Hoje
Me venci
Hoje
Me superei
Hoje
Superei as minhas próprias expectativas de mim mesma
Hoje
Tive a minha primeira e melhor vitória
Hoje
Conquistei a mim mesma
*
25/04/2010

Colorido e Funcionalidade

*
Todo dia
Em sabedoria
Dia de começar a colorir
O estado de espírito
Em nenhuma cor restrito
Quando a gente está feliz
É sempre aprendiz
Tudo em volta fica maravilhoso
Prazeroso
Colorido
Gosto de cores
Vivo em estado de graça
Graças!
Faço sempre avaliações da realidade
Com dignidade
E percebo sempre
Que tenho mais motivos para sorrir
Do que para me entristecer
O colorido conquista
Alegra
Sobressalta
Encanta aos olhos
Desperta
O colorido é vivo
Gosto de vida
Não gosto de energia parada
Não gosto de roupa encostada
Não gosto de coisa inútil
Faço tudo ser útil
Tudo tem que valer
Tem que fazer sentido
Tem que ser prático
Democrático
O colorido conquista
Tem sua funcionalidade
Multiplicidade
Encanta-me o colorido
Dessa estação
A mais bonita
Da minha região
O outono/inverno
Lembra o colo materno
Em que o sol aquece
Discretamente
Lentamente
Em que se é permitido aconchegar
Abrigar
Agasalhar
Parece que o dia amanhece devagar
Esquentando aos poucos
Envolvendo
Comovendo
E faz do aquecer
Um momento de magia
Assim o amanhecer
O colorido do dia
Algo encantado
Aos poucos plantado
No coração da gente
Como uma semente
E que encanta
A quem se permite ver
O colorido, nos dá poder
Demos vazão
À invasão das cores
Quer mais cores do que têm as flores?!
As flores não são presentes?
As cores não são permanentes?
Sejamos tomados
Por flores e cores
Funcionalidade natural
Algo sobrenatural
Esteja a alma inteira
À sua maneira
Ou em retalhos
Em frangalhos
Que possamos repartir
Expandir
Canções em cores
Através de flores
Ou de amores
Eis a sua funcionalidade
Pura frugalidade
*
16/04/2010

Clareza e Estilo

*
Clareza de pensamentos
Em alguns momentos
Empreitada difícil
Definição de estilo
O que será aquilo?
Buscamos
Por necessidade
Identificação
Como uma permissão
Quem pensa como nós?!
Mudar o foco
Pensar em bloco
Ver melhor as coisas
Que passam como brisas
Limpidez de pensamento
Sem tormento
Emoções à flor da pele
Aquilo que fere
Vemos com clareza?!
A questão da felicidade
Uma crueldade
Tema sempre presente
Em qualquer idade
Indisfarçável singularidade
Teimar em identificar
Sempre a ponderar
Quais as causas dos problemas?!
Saber qual foi a gota d’água
E onde desagua
O motivo da derrocada
Mas a gota d'água
Não nos identifica o problema
Monta-se um esquema
A gota identificada
Malfadada
Mais conseqüência que causa
Uma pausa
Vida repetitiva
Cansativa
Mas não difícil
Embora passe como um míssil
A arte
Em combate
Em qualquer modalidade
Boa forma de expressão
Buscando compreensão
Para enfrentar a mesmice
Uma sandice
Através da arte criamos
Coisas novas elaboramos
Uma boa sensação
Uma emoção
Em produtividade
Criatividade
Riqueza de detalhes
Em bons talhes
Naquele instante nos basta
Caminhamos
E na verdade o fazemos
E então definimos
Redimidos
Um modo de pensar
Um norte a seguir
Uma definição na vida
Um acordo de princípios
Devemos realmente seguir
E perseguir
Nosso estilo próprio
Bagagem que angariamos
Características
Com as quais identificamos
Nossa personalidade
Ao longo de nossas vidas
Buscamos
Qualidade de vida
Vida vivida
Clareza de pensamento
Entendendo o sentimento
*
20/04/2010

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Brilho e Sedução

*
Soltar-se
Permitir-se
Refletir-se
Brilhar
Seduzir
Brilhos
De dia ou de noite
Brilhar
É pra qualquer hora
Quando não é o sol, é a lua
Acender a luz dos olhos
A qualquer e a toda hora
Ascender o bom humor
Intensificar interesses pela vida
Valorizar o que realmente importa
Fazer brilhar a própria luz
Sem inovação
Só constatação
Imprescindível forma
Marketing pessoal
Sempre existiu
Mas muitos não usam
Brilhar é condição
Pra vida dar certo
Como viver
Uma profissão
Profissão vida
Gostar do que faz
Atualizar-se
Ter brilho nos olhos
Demonstrar garra
Força de vontade
Brilho nos olhos
Poder de sedução
E seduzimos
Fascinamos
Projetamos coisas boas
Através de nós
Do brilho visto em nós
Forma refinada de sedução
Fazer o bem aos outros
Brilhar
Profissão vida
Tomar o leme
E confiar
Seduzir
Brilhar
*
24/04/2010

sábado, 15 de maio de 2010

Beleza Convencionada

*
O tempo não se define
Roupa
Estação
Qual estação?
Não há certo ou errado
Na verdade
Está tudo certo
Na primavera
Ainda está frio
Vem depois do inverno
Braços de fora
Mesmo que se sinta frio?!
No outono
Porque é outono
Convencionalmente
Coloca-se casaco
Mesmo que esteja quente?!
Pois esta estação
Vem após o verão
A própria Terra está quente
Fervente
Certas convenções
Não fazem sentido
São pactos incoerentes
Não se adéquam à natureza
Não à natureza imediata das coisas
Dependentes
Dos fenômenos da própria natureza
E o que não depende deles?!
Convenções rígidas são absurdas
Como explicar
Que convencionalmente associamos
No hemisfério sul
Árvore de natal prateada
Simulação de neve
Pleno verão em dezembro
Como pactuar com estudos
Comer de duas em duas horas
Mesmo que não esteja com fome?!
Convenções
Acordos
Devem-se adequar
Conteúdo e forma
A forma de se expressar
Há que se ater ao conteúdo
Desejo de se atingir
Ou demonstrar
A beleza revelada
Quando da comunhão
Conteúdo e forma
Não apenas por convenção
Mas por adequação
Se faz a beleza
Sempre
A beleza natural
Será melhor que a convencionada
*
29/04/2010

A Salvo da Seriedade

*
Salvar-se da seriedade
Fim de semana
Ver graça
Onde os outros vêem problema
Salvar-se
Intento próprio
Ganhar leveza
Ter habilidade
Suavizar tensões
Respirar fundo
Viver
Conscientemente
Salvar-se
Deixar de lado a seriedade
Com sua gravidade
Salvar-se
Aprimorar-se
Com intensidade
Respirar fundo
Usufruir de cada inspiração
Sorver cada momento
Com prazer
Salvar-se
*
15/05/2010

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Atualizações

*
Mente aberta
Uma necessidade
No mundo atual
No mundo virtual
As atualizações
Devemos compor
Quase acatar
A todo instante
Atualizar
Nossa mente
Um computador
Série de arquivos
Atualizações
Variadas impressões
Percepções
Acionamentos
Atualizações
Reinicializações
Zerar o sistema
Recomeçar
Inicializar
É o que fazemos
Todos os dias
Em todos os instantes
Atualizações
Sem desligar a mente
Para instalar
Atualizações
Manter a mente aberta
Parcerias
Estando atentos
Capacitados
Absorvidos
Atualizações fantásticas
Idéias novas
Abandonar velhos hábitos
Prevenir vírus
Utilidade prática
Mente aberta
Desapego ao inútil
Ampliar horizontes
Atualizações necessárias
Manter-se em dia
Adquirir informação
Pensamento positivo
Atualizações
Naturalmente
Apreensões
Mudando pensamentos
Mudando nosso mundo
Nos atualizaremos
*
15/04/2010

segunda-feira, 3 de maio de 2010

A Chuva

*
Aconteceu
A chuva
Uma pena
Eu não ter visto a chuva
Uma pena
Eu ter dormido tão pesado
Uma pena
Eu querer tanto ter esfriado
E não ter visto a chuva
Uma pena
Eu não ter visto a chuva
Mas voltou a chover
E eu pude ver a chuva
Tão esperada
Tão almejada
Tão precisada
Pra melhorar o tempo
A respiração
A terra lavada
Ter a alma lavada
*
30/04/2010

quinta-feira, 29 de abril de 2010

De Que Preciso

*
Tudo o de que preciso
Amor
Sorte
Sucesso
Garra
Preciso
Firmeza
Corrida
Medalha
Revezamento
Preciso
Superar-me
Agitar-me
Mais ainda?
Ainda mais
Cada vez mais
Preciso
De uma certeza concreta
De uma caminhada reta
De uma firmeza moral
E também espiritual
Preciso
*
25/04/2010

Concretização

*
Tensão
Impaciência
Sem visão
E sem previsão
De concretização
Onde os frutos de um esforço?
Parecendo tudo um grande esboço
Nunca uma obra completa
Ou, ao menos, menos incerta
Quero um indicativo
Uma seta
Na verdade
Tenho uma meta
Não seria ela concreta?
Não estaria correta?
Concretização
Verdadeira redenção
*
29/04/2010

Paixão

*
Paixão pela vida
Sensação desmedida
Meta cumprida
Em colorido
Ornado
Provido
Não corrompido
É o que temos
É o que queremos
E o que podemos
Mas poderemos mais
Sem muitos ‘ais’
Na beira do cais
A apreciar
A desvendar
E desmembrar razões
Sentir realmente
As emoções
Em grandes proporções
Soltar os grilhões
Abrir os porões
Da alma
Com muita calma
Alusão à paixão
*
29/04/2010

sábado, 24 de abril de 2010

Sacrifício Necessário

*
Sacrifício necessário
Expressão de quem gosta de luta
Vencer na vida pelo amor
Melhor do que pela dor
Escolho o amor
Amor à vida
Amor às pessoas
Amor às coisas
E porque não?
Sem hipocrisia
Sem valorizar coisa ruim
E não embirro
Com o que não é pra mim
Muita gente
Valoriza a dor
Por ser apenas
Um lutador
Sem amor
Pelo sacrifício
Pela dificuldade
Pelo prazer
Pelo difícil
Em qualquer empreendimento
Mau sentimento
Desprezo pelo que não for difícil
Desde o início
Gosto pela luta
Sacrifício necessário
Sacrifício para seu alcance
Sem nenhum romance
Apenas de luta
Provida a conquista
Qualidade satisfatória
Relação sacrifício
Relação benefício
Diretamente proporcional
Nada intelectual
Perceber o lado bom das coisas
Antes de se tornar sacrifício
É bom indício
Caminhada para a conquista
Direção a tudo que se invista
Tudo na vida
Para ser alcançado
Requer a força da conquista
Tudo na vida
Para ser mantido
Requer o esforço da dedicação
Mas nem tudo na vida
Precisa ser alcançado
Nem mesmo mantido
Através de sacrifício
Se chegou ao sacrifício
Esforço no empreendimento
Porque já terá se passado
A hora de ser pelo amor conquistado
Força e esforço
Podem com amor ser realizados
Meta: esforço para sermos dignos
Esse o sacrifício necessário
*
07/04/2010

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Par Inspiração

*
Par
Inspiração
Nunca é demais
Inspiração em pares
Muito melhor
Números pares
Parcerias
Dinamismo
Pares para se aquecerem
Para caminharem
Para se encaminharem
Para tomarem notas
Cartão com dizeres
Caminhar conjunto
Jogo de palavras
Sentido verdadeiro
Tipo de agrado
Valorização
Detalhes
Fazem diferença
Valorização do caminhar junto
Do par
Da parceria
Do caminho
Que se faz ao andar
Da inspiração
E não adianta
Reclamar do caminho
Encontrar inspiração
Auxilia caminhar
*
09/04/2010

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Mente Ativa

*
Mente ativa
Fase criativa
Não seguir nada piamente
Indiscriminadamente
O desconfortável
Abominável
Por conforto mental
Há que se pensar
No que se deve acreditar
No que se vem a ditar
Convencer-se
Apresentar-se
Numa normalidade
Uma viabilidade
Não adormecer a criatividade
Mente ativa
Investimento em si mesmo
Cada proposta
Cada realização
Um novo ciclo de vida
Mente ativa
Uma arte
Forma autêntica de auto-expressão
Luta
Para ser absoluta
Independente
Ilimitada
Soberana
*
08/04/2010

terça-feira, 20 de abril de 2010

Histórias

*
Histórias
Memórias
Vitórias
Aprendemos
Princípio, meio e fim
Consolo pra mim
História da vida
Nada nítida
As situações são muitas
As conclusões, algumas
Somos personagens
Histórias da vida
Miragens
Contracenando com muitos
Muitos de nós
As mesmas circunstâncias
As mesmas importâncias
Histórias norteadoras
Algumas orientadoras
Algumas se repetem
Outras são recriadas
Muito poucas são realmente criadas
O que vemos
Em sua maioria
São histórias que se repetem
Fatos que se invertem
Evoluímos pouco, então?
Busco sempre uma progressão
Uma lógica
Verdadeira mágica
Nem sempre permitida
Nem sempre passível de ser desvendada
As histórias
As verdades
São mistérios
São fotografias de circunstâncias
Mesmo em distâncias
Os acontecimentos nos moldam
Moldamos os acontecimentos
Conforme nossa personalidade
Nossa identidade
Pensar em histórias de vida
Não é prendermo-nos ao passado
Procurando o princípio, o meio e o fim
Como razão de tudo
Mas encararmos nossa realidade
Com muita dignidade
Como um novo começo hoje
Prazeroso e satisfatório
Que iremos continuar
E tecer mais amanhã
*
12/04/2010

Mentira X Consciência

*
Mentira
Ilusão
Ilusão da consciência
Ou a falta dela
Mentira
Verso a que se propõe a mente
Sem mira
Sem rima
Teoria
Hipocrisia
A que se dispõe a acreditar
Ou queira fazer acreditar
Tal qual semente
Pungente
Viver da mentira
Um contrário
Uma farsa
Uma coisa que se planta
Semente
Na mente descrente
Racionalismo exacerbado
Sossego assegurado
Oposto à mentira
Um contrário
Desejo palpável
Realizável
Sem falsidade
Prefiro uma verdade
Mesmo que me doa
Que me corroa
A uma mentira que me iluda
Sem descobrir o melhor caminho
Um torvelinho
Não vivo de véu
Ao léu
Gosto de ver claramente
Conscientemente
De sentir a realidade vigente
Descobrir alternativas
Superar expectativas
Mas falando da mentira
Não de mentira
Qual a mentira
Quisera fosse verdade
Pessoas conscientes
Contrário da mentira
Desnecessária a mentira
Facilitar a vida
Desmedida
Falta de maturidade
Oh, crueldade
Suficientemente consciente
Consciência e maturidade
Numa comunidade
Em perfeita igualdade
Em paridade
*
01/04/2010

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Tecnologias

*
Tecnologias
Magias
Fotos
Fatos
Retratos
Retratados
Criados
Colagens
Tecnologia
Digital
Um postal
Um portal
Assusta
Criatividade
Que se propaga
Se dinamiza
Tecnologia
Necessária
Útil
Imprescindível
Adaptações
Teimosias
Tecnologias
Dependências
Caminhadas
Caminhos
Modernidades
Agir
Pensar
Se atualizar
Pois estagnar
Não é caminhar
*
26/03/2010

domingo, 18 de abril de 2010

Razão Para Viver

*
Definir a vida em função de objetos
Não deveria ser normalidade
Para viver bem
Ostentar sem necessidade
Ostentar para parecer que tem
Comparações
Satisfações
Insatisfações
Julgamentos superficiais
São coisas banais
Valorização da personalidade
Da individualidade
Verdadeira riqueza
Ver as coisas com clareza
Crítica
Não é a melhor política
Provocações
Insensibilidades
Dispersão
Da razão para viver
Amor próprio
Individualismo soberano
A questão é observar
Não se irritar
Fazer abstração
Estudar o coração
Com certa distância
A frio
Algum mal causado
Transformado
Amabilidade
Abstração da negatividade
Da insensibilidade alheia
Sutil recreio próprio
Razão para viver
*
30/03/2010

sábado, 17 de abril de 2010

Amor em Perdão

*
Perdão
Por uma colocação
Perdão
Meu doce amor
Perdão
Imploro pelo seu perdão
Perdão
Por eu ser egoísta
Perdão
Por te querer só pra mim
Perdão
Por invejar tudo e todos
Perdão
Por ser repetitivo
Perdão
Por falar do meu amor
Perdão
Pela falta que você me faz
Perdão
Pela saudade do amor
Perdão
Pela paz que sinto
Quando vejo seu sorriso
Perdão
Pelo quanto me satisfaço
Só de te olhar nos olhos
Perdão
E em perdão
Continuo a caminhada
E gosto dessa repetição
Que retribuo em expressão
Devemos pedir mesmo
Perdão
*
07/12/2009

Sofrendo, em Gerúndio

*
Já se viu
Ou se permitiu
Sofrer, em gerúndio?!
Ouvi assim
E sofri junto
Eu sofrendo
Eu morrendo
Invejando
A quem estiver cortejando
Eu aqui
Amando
Esperando
Sentindo
Sofrendo
Cuidando
Orando
Vigiando
A contrapartida?
Compreendendo
A incompetência
Mas sorrindo
De tão lindo
Falando
Nomeando
Assim
Sofrendo junto
Em gerúndio
*
06/12/2009

Um Bastar

*
Um bastar
Num manjar
No que fazer
Nas coisas
Que me dão prazer
Uma possibilidade
Uma capacidade
De te bastar em algo
Cruel comigo
Eu sem abrigo
Você ali
Onde me perdi
Eu longe
Como um monge
Você linda
Eu na berlinda
Eu péssimo
No meu máximo
É sempre assim
Para bastar
Tem que aguardar
A hora certa
Em que desperta
E se bastar
Em um louvar
*
07/12/2009

Um Dia, Uma Noite

*
Dia intenso, cansativo
Ficar bem
Dormir em paz
Um desafio
Ter um sono guiado
Iluminado
Um dormir do lado
Sem o desafio
Do sono solitário
Pesado
Nebuloso
Nada virtuoso
Disseram-me
Do coração de um homem
Que ama
E se inflama
Em que dói muito
E o tempo todo
Uma saudade
Que ficam insanos
E até cruéis
Numa falta sentida
De maneira latente
Mas o coração de uma mulher
É diferente
É mais doce
E sofre
Antes mesmo que possa ser cruel
Mesmo que cheio de fel
Mas nada melhor
Que um dia
E uma noite
*
07/12/2009

Entender

*
Entender
Ou não entender
Sem conseguir
Nem poder
Se exprimir
E perseguir
Disfarçar a angústia
Mostrar simpatia
A ansiedade
Sem piedade
Que toma conta
E quem está em volta
Percebe
Sente
Sofre
Revolta
Difícil uma vida assim
Amar
E não poder falar
Nem sentir
E ao mesmo tempo
Vendo a vida ao longe
Linda
E mais ainda
De outro dono
Um desconsolo
Reflexos
Reflexões
Espelho triste
Divagações
Estúpidas divagações
E, contudo, contar
Sem brigar
Nem mesmo expressar
Por tanto querer
Só carinho
Ajudar-se
A entender
Tudo e todos
E respeitar
A tudo e a todos
Controlar os sentimentos
Entender
*
06/12/2009

O Cotidiano e a Nostalgia

*
Todos os dias
Os fatos se sucedem
Monotonia
Fujo do cotidiano
Rotina mínima
A minimamente necessária
De resto, inventar
E reinventar a cada dia
Uma viagem
Um livro
Novas perspectivas
Renovar
Para promover
Expansão da consciência
É um caminhar
E um retornar
Um retomar
Dá-nos bem-estar
A nostalgia
Por vezes faz bem
Cotidiano
Em qualquer plano
Inclusão social
Tudo normal
Estarmos inseridos
No contexto social
De forma integrada
No jogo da vida
Preferência nostálgica atendida
Consolo emocional necessário
Um cotidiano aceitável
Sabores antigos
Reconhecidos
Jamais esquecidos
Apegos
Desapegos
Agrado emocional
Floreia o cotidiano
O moderno em parceria
Num contraponto inédito
Revisitado
O antigo alterado
Conforme o contexto social
Sendo o vintage exceção
O novo
A novidade
Como no cotidiano
A nostalgia
*
29/03/2010

Moda e Tempo

*
A moda é o que se molda
Vai e volta
A moda no tempo
Sempre a contento
Vai e volta
A moda e o tempo
Parece efêmero
O tempo que a moda dura
Altera sua estrutura
Volta renovada
Arrojada
Revelação surpreendente
Exposta continuamente
Se durar uma estação
Valeu a criação
Cartelas de cores
Mudam em toda coleção
O uso da cor
Revela o condutor
Em seu interior
Bem como seu humor
Moda e tempo
Algumas variações
Verdadeiras invenções
Algumas convenções
Uma idéia base
Pode durar uma fase
É muita informação
É muita modernidade
A moda
De antemão
Não é uma ilusão
Mas uma paixão
*
25/03/2010

Mania de Projetar

*
Não lido bem com surpresa
Gosto de definir com clareza
Objetivos
Estímulos
Estimando-os
A longo prazo
Preparar-me para eles
Mania de projetar
E idealizar
O que se tem de primordial
Trabalhar para produzir
E reproduzir
O que entendo em mim como talento
E isso me dá sustento
Manias são como regras para uma guerra
Angariar tudo o que a criatividade encerra
Seria isso viver sob tensão?!
Teríamos na mente um clarão?
Gosto de focos
De objetivos
Tudo o que faço
Tudo o que posso
Função prática
Na sua lógica
Escolhendo um caminho na vida com prazer
Desfrutar a vida, um lazer
Com energia
Com poesia
E não morrer de tédio
Eis o remédio
Fazer bonito
E fazer ficar bonito
Tudo o que se faz
Tudo o que nos compraz
Tudo o que há à minha frente
Tudo o que há na mente
Tudo ao meu redor
É projetar
E me fartar
*
17/03/2010